Santuario de Fatima

Santuario de Fatima

Para informações sobre o Curso de Cura de Fátima veja AQUI (CLIQUE AQUI)

SITES SOBRE FÁTIMA, LINKS DE INTERESSE

Site Oficial do Santuário de Fátima

Capelinha das Aparições Online ao Vivo

ARTIGOS SOBRE FÁTIMA:

Nossa Senhora de Fátima

Santuário de Fátima

Segredo de Fátima

Milagre do Sol

Aparições de Fátima

Nossa Senhora de Fátima

nossa senhora de fatima

Nossa Senhora de Fátima

 

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Nossa Senhora de Fátima (ou Nossa Senhora do Rosário de Fátima) é uma das designações atribuídas à Virgem Maria que, segundo os relatos da

época e da Igreja Católica, apareceu repetidamente a três pastores, crianças na altura das aparições, no lugar de Fátima, tendo a primeira aparição acontecido

fatima cura

no dia 13 de Maio de 1917. Estas aparições continuaram durante seis meses seguidos, sempre no mesmo dia (exceptuando em Agosto). A aparição é associada também a Nossa Senhora do Rosário, sendo portanto aceito a combinação dos dois nomes – dando origem a “Nossa Senhora do Rosário de Fátima” – pois, segundo os relatos, “Nossa Senhora do Rosário” teria sido o nome pelo qual a Virgem Maria se haveria identificado, dado que a mensagem que trazia consigo era um pedido de oração, nomeadamente, a oração do Santo Rosário.

Fecha o ciclo de aparições iniciado em Paris, como Nossa Senhora das Graças, sucedida pela aparição em La Salette eLourdes.

História

Três crianças, Lúcia de Jesus dos Santos (de 10 anos), Francisco Marto (de 9 anos) e Jacinta Marto (de 7 anos), afirmaram ter visto Nossa Senhora no dia 13 de Maio de 1917 quando apascentavam um pequeno rebanho na Cova da Iria, freguesia deAljustrel, pertencente ao concelho de OurémPortugal.

Segundo relatos posteriores aos acontecimentos, por volta do meio dia, depois de rezarem o terço, as crianças teriam visto uma luz brilhante; julgando ser um relâmpago, decidiram ir-se embora, mas, logo depois, outro clarão teria iluminado o espaço. Nessa altura, teriam visto, em cima de uma pequena azinheira (onde agora se encontra a Capelinha das Aparições), uma “Senhora mais brilhante que o sol”.

pastorinhos de fátima

Segundo os testemunhos recolhidos na época, a senhora disse às três crianças que era necessário rezar muito e que aprendessem a ler. Convidou-as a voltarem ao mesmo sítio no dia 13 dos próximos cinco meses. As três crianças assistiram a outras aparições no mesmo local em 13 de junho13 de julho e 13 de setembro. Em agosto, a aparição ocorreu no dia 19, no sítio dos Valinhos, a uns 500 metros do lugar deAljustrel, porque as crianças tinham sido presas e levadas para Vila Nova de Ourém pelo administrador do Concelho no dia 13 de agosto.

13 de outubro, estando presentes na Cova da Iria cerca de 50 mil pessoas, Nossa Senhora teria dito às crianças: “Eu sou a Senhora do Rosário” e teria pedido que fizessem ali uma capela em sua honra (que atualmente é a parte central do Santuário de Fátima). Muitos dos presentes afirmaram ter observado o chamado milagre do sol, prometido às três crianças em julho e setembro. Segundo os testemunhos recolhidos na época, o sol, assemelhando-se a um disco de prata fosca, podia fitar-se sem dificuldade e girava sobre si mesmo como uma roda de fogo, parecendo precipitar-se na terra. Tal fenómeno foi testemunhado por muitas pessoas, até mesmo distantes do lugar da aparição. O relato foi publicado na imprensa por vários jornalistas que ali se deslocaram e que foram testemunhas do fenómeno. Contudo, há testemunhos de pessoas que afirmaram nada ter visto, como é o caso do escritor António Sérgio, que esteve presente no local e testemunhou que nada se passara de extraordinário com o sol, e do militante católico Domingos Pinto Coelho, que escreveu na imprensa que não vira nada de sobrenatural. Entretanto, testemunhas da época afirmaram que o facto não aconteceu com o sol (este ficou do mesmo tamanho) mas sim com um objecto luminoso que se destacou no céu, girando sobre si próprio e mudando de cor.

Posteriormente, sendo Lúcia religiosa doroteia, Nossa Senhora ter-lhe-á aparecido novamente em Espanha (10 de Dezembro de 1925 e 15 de Fevereiro de milagre do sol fátima1926, no Convento de Pontevedra, e na noite de 13 para 14 de Junho de 1929, no Convento de Tui), pedindo a devoção dos cinco primeiros sábados (rezar o terço, meditar nos mistérios do Rosário, confessar-se e receber a Sagrada Comunhão, em reparação dos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria) e a Consagração da Rússia ao mesmo Imaculado Coração.

O papa Pio XII, anuindo a esses pedidos de Nossa Senhora, consagrou o mundo inteiro ao Imaculado Coração de Maria a 31 de Outubro de 19422 .

Nas suas Memórias, Lúcia contou ainda que, entre abril e outubro de 1916, teria já aparecido um anjo aos três pastorinhos, por três vezes, duas na Loca do Cabeço e outra junto ao poço do quintal da casa de Lúcia, convidando-os à oração e penitência, e afirmando ser o “Anjo de Portugal“.

Este anjo teria ensinado aos pastorinhos duas orações, conhecidas por Orações do Anjo, que entraram na piedade popular e são utilizadas sobretudo na adoração eucarística.

Síntese da Mensagem de Fátima

Segundo a Irmã Lúcia, no seu último livro publicado em 2006, toda a mensagem subjacente às aparições de Nossa Senhora de Fátima é o seguinte:

– No decorrer de toda a Mensagem, a começar pelas aparições do Anjo, encontramos um apelo à oração e ao sacrifício oferecido a Deus por amor e conversão dos pecadores. Para mim, este apelo é como que a norma básica de toda a Mensagem, que começa por introduzir-nos num plano de esperança e amor: “Meu Deus, eu creio, adoro, espero e amo-vos”. É aqui que assenta a base fundamental de toda a nossa vida sobrenatural: viver de fé, viver de esperança, viver de amor.3

Na Exortação Apostólica Signum magnum, o Papa Paulo VI assim resumiu a mensagem da santa:

A santa contemplação de Maria incita-os, de facto, à oração confiante, à prática da penitência, ao santo temor de Deus, e recorda-lhes com frequência aquelas palavras com que Jesus Cristo anunciava estar perto o reino dos Céus: Arrependei-vos e acreditai no Evangelho, bem como a sua severa advertência: Se não vos arrependerdes, perecereis todos de maneira semelhante.

 

Monumentos

No dia 13 de maio de 2008 foi inaugurada em FortalezaCeará a maior imagem de Nossa Senhora de Fátima do mundo. A estátua tem 15 metros de altura e foi feita pelo artista plástico Franciner Macário Diniz.4

No dia 28 de Maio de 2011 foi inaugurado o Santuário de Nossa Senhora de Fátima do Rio de Janeiro, um santuário localizado no bairro do Recreio dos Bandeirantes, na cidade do Rio de Janeiro, no Brasil, composto por uma réplica da famosa Capelinha das Apariçõesoriginal da Cova da Iria, no Santuário de Fátima, em Portugal.5

 Referências

  1. Nossa Senhora de Fátima Conferência Nacional dos Bispos do Brasil Regional Oeste 2. Visitado em 28 nov. 2009.
  2. Ir para cima↑Nossa Senhora de Fátima, Evangelizo.org, 13 de Maio de 2013
  3. Ir para cima↑SANTOS, Lúcia de Jesus dos [Irmã Lúcia]. Como vejo a Mensagem ao longo do tempo e dos acontecimentosCoimbra: Carmelo de Coimbra, Secretariado dos Pastorinhos, 2006, p. 48.
  4. Ir para cima↑CE: inaugurada maior estátua de Fátima do mundo. Terra Networks Brasil, São Paulo, 13 maio 2008. Disponível em: <http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/0,,OI2885443-EI8139,00.html>. Acesso em: 28 nov. 2009.
  5. Ir para cima↑Santuário de Nossa Senhora de Fátima (Brasil) – Associação Arquidiocesana “Tarde com Maria”

Bibliografia

 Ligações externas

(vários idiomas: inglês, português, espanholfrancês e outros)

Santuário de Fatima

santuário de fátima

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

 

Santuário de Nossa Senhora do Rosário de Fátima (mais conhecido, simplesmente, por Santuário de Fátima), localizado na Cova da Iria,

santuário fátima

freguesia de Fátima (Portugal), é um dos mais importantes santuários marianos do mundo. O actual reitor deste santuário é o Padre Carlos Manuel Pedrosa Cabecinhas.

Em 1917 (ano da revolução soviética), Jacinta MartoFrancisco Marto e Lúcia dos Santos (conhecidos por “os três pastorinhos“), dizem ter presenciado seis aparições de Nossa Senhora nos dias 13, de Maio a Outubro, tendo em Agosto acontecido no dia 19. No essencial da mensagem, Nossa Senhora teria pedido que se rezasse o terço todos os dias, conversão, e penitência. Numa dessas aparições, a Virgem Maria pediu para construírem uma capela naquele lugar, que actualmente é a parte central do Santuário onde está guardada uma imagem de Nossa Senhora. No decorrer dos anos, o Santuário foi sendo expandido até aos dias de hoje, existindo já duas basílicas, aumentando assim a capacidade de acolhimento de peregrinos em recinto coberto.

O Santuário de Fátima é composto principalmente pela Capelinha das Aparições, o Recinto/Esplanada do Rosário, a Basílica de Nossa Senhora do Rosário e colunatas, casa de retiros de Nossa Senhora do Carmo e Reitoria, casa de retiros de Nossa Senhora das Dores e albergue para doentes, praça Pio XII e Centro Pastoral Paulo VI, e também a vasta Basílica da Santíssima Trindade, inaugurada a 13 de Outubro de 2007. Destacam-se ainda a Capela do Lausperene (Laus Perene = Louvor Permanente) (onde está permanentemente exposto o Santíssimo Corpo de Cristo na Hóstia Consagrada) e a Capela da Reconciliação, dedicada à celebração do Sacramento da Reconciliação (Confissão).

 

Capelinha das Aparições

capelinha das aparições

 

Em resposta ao pedido de Nossa Senhora “quero que façam aqui uma capela em minha honra”, foi construída uma modesta capela no local exacto das aparições. De 28 de Abril a 15 de Junho de 1919, a tarefa foi executada pelo pedreiro Joaquim Barbeiro de Santa Catarina da Serra.1

13 de Maio de 1920, a imagem de Nossa Senhora de Fátima é benzida na Igreja Paroquial de Fátima pelo Rev. António de Oliveira Reis, arcipreste de Torres Novas.1 Foi oferecida por Gilberto Fernandes dos Santos e encomendada à Casa Fânzeres de Braga, segundo as indicações da Irmã Lúcia,sendo a obra de escultura de José Ferreira Thedim, . É em madeira, cedro do Brasil, e mede 1,10m. A estátua é entronizada na Capelinha a 13 de Junho do mesmo ano.2

13 de Outubro de 1921 é permitida oficialmente a celebração da Missa, pela primeira vez, junto à Capelinha.3

Em 6 de Março de 1922, foi dinamitada por desconhecidos, mas foi reconstruída nesse mesmo ano.3

Em 1982 foi construído um vasto alpendre, tendo sido inaugurado aquando da visita do Papa João Paulo II em 12 de Maio desse ano. Em 1988Ano Mariano, foi forrado com madeira de pinho, proveniente da Rússia, norte da Sibéria. Foi escolhida esta madeira pela sua durabilidade e leveza.3

A capelinha original, embora sujeita a ligeiras reparações no decorrer dos anos, mantém os traços de uma ermida popular.

pedestal, onde se encontra a Imagem de Nossa Senhora, marca o sítio exacto onde estava a pequena azinheira sobre a qual Nossa Senhora apareceu aos Pastorinhos em 13 de Maio, Junho, Julho, Setembro e Outubro de 1917.4

 

Basílica de Nossa Senhora do Rosário

basílica de nossa senhora do rosário

Basílica do Rosário começou a ser construída em 1928, em estilo neo-barroco, segundo um projecto do arquitecto neerlandês Gerard Van Krieken. Ergue-se no local onde os Pastorinhos brincavam a fazer uma pequena parede de pedras quando viram o clarão que os fez pensar ser uma trovoada, em 13 de Maio de 1917. A primeira pedra foi benzida pelo Arcebispo de ÉvoraD.Manuel da Conceição Santos, em 1928, tendo a sagração ocorrido em 7 de Outubro de 1953. Em 1954 foi-lhe concedido o título de Basílica Menor, pelo Papa Pio XII.

O edifício, que mede 70,5 metros de comprimento e 37 de largura, foi construído totalmente com pedra da região (lugar do Moimento) e os altares são de mármore de Estremoz, de Pero Pinheiro e de Fátima.

À frente da Basílica do Rosário foi instalada uma grande tribuna, com altar, presidência, ambão e bancos para os concelebrantes.

A torre sineira tem 65 m de altura, sendo rematada por uma coroa de bronze de 7000 kg, construída na fundição do Bolhão, Porto, encimada por uma cruz, iluminada durante a noite.

carrilhão é composto por 62 sinos, fundidos e temperados em Fátima por José Gonçalves Coutinho, de Braga. O sino maior pesa 3.000 kg e o badalo 90. O relógio é obra de Bento Rodrigues, de Braga. Os anjos da fachada, de mármore, são da autoria de Albano França.

No dia 13 de Maio de 1958, foi inaugurada uma grande estátua do Imaculado Coração de Maria, oferta dos católicos americanos e esculpida pelo Pe. Thomas McGlynn sob indicação da Irmã Lúcia. Tem a altura de 4,73 m e pesa 13 toneladas. Em 13 de Junho de 1959 foi colocada no nicho da fachada da basílica.5

 

À entrada da Basílica, por cima da porta principal, encontra-se um mosaico que representa a Santíssima Trindade a coroar Nossa Senhora. Foi executado nas oficinas do Vaticano e ali benzido pelo então Secretário de Estado, Cardeal Eugénio Paccelli, futuro Papa Pio XII.

O 15º mistério, um baixo-relevo de pedra, na ábside da capela-mor, representa a Santíssima Trindade a coroar Nossa Senhora. É da autoria de Maximiano Alves.

À entrada da Basílica, do lado direito, encontra-se a imagem de São João Eudes, fundador da Congregação de Jesus e Maria (Eudistas) e da Congregação de Nossa Senhora da Caridade do Refúgio (também da autoria de Martinho de Brito). Do lado esquerdo, a estátua deSanto Estevão, primeiro rei da Hungria, coroado no ano 1000, que consagrou a sua nação a Nossa Senhora, da autoria de António do Amaral de Paiva.

Os túmulos dos irmãos Francisco Marto e Jacinta Marto, encontram-se respectivamente no extremo direito e esquerdo do transepto.

O templo tem duas sacristias, tendo uma sido convertida em lugar de culto, com o nome de Capela de São José.

 

Cada um dos 14 altares laterais representa um mistério do Rosário, os baixos-relevos dourados, aí colocados são da autoria do então Jovem Escultor Martinho de Brito. A coroação de Nossa Senhora de Fátima, em 13 de Maio de 1946, e o encerramento do Ano Santo, em 13 de Outubro de 1951, são evocados em duas lápides, à entrada da capela-mor.

arco cruzeiro ostenta, em toda a volta, um mosaico, onde se lê Regina Sacratissimi Rosarii Fatimae ora pro nobis.

Do lado direito da capela-mor, encontra-se a estátua de São Domingos de Gusmão, o grande apóstolo do rosário no século XIII (autoria de Maria Amélia Carvalheira da silva). Do lado esquerdo, Santo António Maria Claret, fundador da Congregação dos Missionários do Coração de Maria (da autoria de Martinho de Brito).

Por detrás da balaustrada, encontra-se uma imagem de Nossa Senhora de Fátima. Ao centro, um grande altar de pedra com frontal de prata, representando a Última Ceia de Cristo. Da mesma pedra do altar são feitos o ambão, a peanha da imagem de Nossa Senhora e as cadeiras da presidência. O quadro do retábulo representa a Mensagem de Nossa Senhora que desce, em forma de luz e de paz, ao encontro dos videntes, preparados pelo Anjo. Da autoria do Arq. João de Sousa Araújo.<No canto superior direito, figuram os papas Pio XIIJoão XXIII e Paulo VI. Do lado oposto, três Anjos.

Os vitrais da capela-mor representam os quatro evangelistas, a aparição do Anjo, uma cena da vida dos pastorinhos, e aspectos da Cova da Iria em dia de peregrinação. São da autoria do Arq. João de Sousa Araújo.6

A fachada da Basílica exibiu duas grandes placas com a fotografia dos Pastorinhos,no ano 2000 por ocasião da beatificação. Em 2005, toda a fachada da Basílica e ascolunatas receberam uma profunda limpeza da sua pedra branca em calcário.

 

Colunatas

 

É o conjunto arquitectónico que liga a basílica aos edifícios construídos de cada lado do Recinto. Obra do arquitecto António Lino (1914-1961), é constituída por 200 colunas e 14 altares. Nos retábulos dos altares vêem-se as 14 estações da Via-Sacra, executadas em cerâmica policromada, da autoria do ceramista Lino António (1898-1974).

Dezassete estátuas feitas de mármore encimam a Colunata. Representam santos portugueses, santos fundadores de congregações religiosas e outros apóstolos da devoção a Nossa Senhora, sendo todas da autoria de escultores portugueses. As estátuas maiores medem 3,20 m e representam quatro santos portugueses: São João de Deus (autor: Álvaro Brée), São João de Brito (António Duarte), Santo António de Lisboa (Leopoldo de Almeida) e São Nuno de Santa Maria (Barata Feio).

As mais pequenas medem 2,30 m e representam Santa Teresa de Ávila (Maria Amélia Carvalheira da Silva), São Francisco de Sales (M. A. Carvalheira da Silva), São Marcelino Champagnat (Vasco Pereira da Conceição), São João Baptista de La Salle (Vítor Marques), Santo Afonso Maria de Ligório (M. A. Carvalheira da Silva), São João Bosco (J. M. Mouta Barradas) e São Domingos Sávio (J. M. Mouta Barradas), São Luís Maria Grignion de Montfort (Domingos Soares Branco), São Vicente de Paulo (José Fernandes de Sousa Caldas), São Simão Stock (M. A. Carvalheira da Silva), Santo Inácio de Loiola (M. A. Carvalheira da Silva), São Paulo da Cruz (Jaime Ferreira dos Santos), São João da Cruz (M. A. Carvalheira da Silva) eSanta Beatriz da Silva (Maria Irene Vilar).7

 

Monumento ao Sagrado Coração de Jesus

A estátua do Sagrado Coração de Jesus ergue-se no centro do recinto de oração. É de bronze dourado e foi oferecida por um peregrino anónimo e benzida pelo Núncio Apostólico, Mons. Beda Cardinale, em 13 de Maio de 1932. A sua localização simboliza a centralidade de Jesus na Mensagem de Fátima. Na base do monumento, encontra-se um fontanário.6

Azinheira Grande

 

A Azinheira Grande era a maior azinheira da Cova da Iria em 1917 e, por isso, também faz parte da história das aparições. Junto dela, esperavam os pastorinhos antes de Nossa Senhora aparecer.8

Basílica da Santíssima Trindade

Esta Basílica, dedicada à Santíssima Trindade, com 8.6339 lugares sentados e 40.000 m², uma obra da autoria do arquitecto gregoAlexandros Tombazis. Foi inaugurada em 12 de Outubro de 2007,10 pelo Secretário de Estado do VaticanoCardeal Tarcisio Bertone, por ocasião do 90.º aniversário das aparições.

Trata-se do quarto maior templo católico do mundo em capacidade, tendo sido integralmente pago com dádivas dos peregrinos ao longo dos anos. A decoração é inspirada na arte bizantina e ortodoxa. A planta é circular por fora e quadrangular por dentro, existindo 12 portas laterais (uma dedicada a cada um dos Apóstolos) e uma grande porta central, a Porta de Cristo.11

Cruz Alta

A antiga Cruz Alta, que tinha 27 metros de altura, foi erguida para assinalar o encerramento do Ano Santo de 1950/1951 e estava situada ao fundo do recinto de oração, onde hoje se situa a Basílica da Santíssima Trindade. Foi oferecida ao Santuário Nacional de Cristo Rei, em Almada.12

A Cruz alta actual, erguida em 29 de Agosto de 2007, é da autoria do artista Robert Schad, tendo 34 metros de altura.13

 

Módulo do Muro de Berlim

 

Um módulo de betão do muro de Berlim recorda a intervenção de Deus, prometida em Fátima, na queda do comunismo.4

 

Presépio

 

presépio de autoria do escultor José Aurélio, situa-se junto da Reitoria.4

 

Locais e monumentos à volta do Santuário

  • Valinhos: local da quarta aparição de Nossa Senhora, em19 de Agosto de 1917, assinalado por um monumento.
  • Loca do Anjo: onde as crianças receberam a primeira e terceira visitas do “Anjo da Paz” (PrimaveraOutono de 1916).
  • Via-SacraCalvário: Sob o Calvário há uma Capela dedicada a  Estêvão.
  • Casa de Francisco e Jacinta Marto
  • Casa de Lúcia dos Santos
  • Casa-museu deAljustrel: junto à Casa de Lúcia. Pertenceu a Maria Rosa, sua madrinha de baptismo. É um local de interesse para as gerações mais novas, pois pretende mostrar como era a vida familiar, na época das aparições.
  • O poço dos pastorinhos (Poço do Arneiro): Ao fundo do quintal da casa de Lúcia, o poço, onde o “Anjo da Paz” ou “Anjo de Portugal”, apareceu pela segunda vez (Verãode 1916).
  • Igreja paroquial e Cemitério: Nossa Senhora apareceu a Jacinta, ensinando-lhe a meditar oterço. No cemitério, em frente da igreja, estiveram sepultados os corpos de Francisco e Jacinta, antes da sua trasladação para a Basílica do Rosário.

 

Peregrinações

Anualmente mais de cinco milhões de visitantes, de todos os países ali se deslocam. As maiores peregrinações ocorrem anualmente nos dias 12 e 13 de Maio a Outubro, sendo tradicionalmente feitas a pé. A 13 de Agosto costuma também haver uma grande peregrinação, dedicada ao emigrante.

O CNC (Centro Nacional de Cultura) em colaboração com as entidades responsáveis do Santuário de Fátima lançaram em 2003 um projecto que visava, à semelhança do que acontece com as peregrinações ao Santuário de Santiago de Compostela, demarcarCaminhos de Fátima que pudessem guiar os inúmeros peregrinos que todos os anos se dirigem a pé ao Santuário, criando osCaminhos de Fátima. Deste projecto nasceram dois caminhos, o Caminho do Tejo, ligando Lisboa a Fátima, e o Caminho do Norte, ligando o Porto a Fátima. Apenas o Caminho do Tejo se encontra já concluído com os marcos com setas azuis que indicam o caminho, sendo que o Caminho do Norte encontra-se em fase de conclusão.

Pelo mundo inteiro foi difundido o culto a Nossa Senhora de Fátima, graças às viagens das Virgens Peregrinas (imagens de Nossa Senhora que percorrem vários países) e aos emigrantes portugueses. Assim é possível encontrar várias igrejas, paróquiasdiocesesescolas, hospitais, monumentos etc. dedicadas a Nossa Senhora de Fátima.

Em 2006 e 2007 celebraram-se os 90 anos das aparições do Anjo (1916) e de Nossa Senhora de Fátima (1917). O programa foi bastante diversificado, desde congressos, exposições, uma oratóriateatro etc., uma multiplicidade de eventos culturais e espirituais. No âmbito destas comemorações, está ainda patente uma exposição com entradas livres; “Fátima no Mundo” conta com fotografias de santuários, igrejas e capelas dedicados a Nossa Senhora de Fátima nos cinco continentes. Actualmente encontra-se exposta no piso -1 da Igreja da Santíssima Trindade, no chamado “Convívio de Santo Agostinho”. Conta também com um roteiro dos santuários e igrejas vistas do espaço (imagens de satélite), a partir do Google Earth, onde é possível identificar alguns dos templos expostos em fotografia.

 

Eventos históricos

 

Apresenta-se a seguir uma cronologia de alguns eventos históricos relacionados com o Santuário de Fátima:

Referências

  1. Ir para:a b Cónego C. Barthas. Fátima: Segundo as testemunhas e os documentos. Braga: Diário do Minho, Lda., 1967. 173-174 p.
  2. Ir para:a b c d Imagem da Capelinha das Aparições Site oficial do Santuário de Fátima. Visitado em 20 de outubro de 2011.
  3. Ir para:a b c d e f g Capelinha das Aparições, Muro de Berlim, Presépio e Capela do Lausperene Santuário de Fátima. Visitado em 9 de Setembro de 2011.
  4. Ir para:a b c Santuário de Fátima – Site oficial pt.
  5. Ir para:a b José Thedim Esculpindo a Imagem do Imaculado Coração (em inglês) com. Visitado em 21 de outubro de 2011.
  6. Ir para:a b Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima Santuário de Fátima – Site oficial.
  7. Ir para cima↑Guia do Peregrino de Fátima. 3ª ed. Fátima: Santuário de Fátima, 1997, pp. 44-45.
  8. Ir para cima↑Azinheira Grande é de interesse público pt.
  9. Ir para cima↑Nova Igreja (PDF) Noticiasdefatima.pt.
  10. Ir para cima↑Inauguração da Igrejapt.
  11. Ir para cima↑Desdobrável sobre a igreja da Santíssima Trindade(PDF) Fatima.pt.
  12. Ir para cima↑Cruz Alta do Santuário de Fátima oferecida ao Santuário de Cristo Reiecclesia.pt.
  13. Ir para cima↑Nova Cruz Alta levantada em Fátimaecclesia.pt.
  14. Ir para cima↑Basílica de Nossa Senhora do Rosário de FátimaSantuário de Fátima. Visitado em 9 de Setembro de 2011.
  15. Ir para cima↑BENTO XVI E FÁTIMA – VÁRIOS MOMENTOSSite oficial do Santuário de Fátima.
  16. Ir para cima↑Inauguração de nova Igreja marca comemorações das apariçõespt (12 de Outubro de 2007 – TSF Rádio Notícias). Visitado em 23 de Abril de 2011.
  17. Ir para cima↑Viagem Apostólica a Portugal no 10º aniversário da beatificação de Jacinta e Francisco, pastorinhos de Fátima (11Site oficial do Vaticano. (14 de Maio de 2010).
  18. Ir para cima↑Papa lembrou João Paulo II na Capelinha das Apariçõespt (12 de Maio de 2010).
  19. Ir para cima↑Peregrinos assistem a ‘milagre do Sol’ em FátimaCorreio da Manhã (13 de Maio de 2011). Visitado em 14 de Maio de 2011.

 

 sport tv online

 

Segredo de Fátima

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

O chamado Segredo de Fátima é um conjunto de revelações alegadamente revelado pela Virgem Maria a três crianças portuguesasLúcia de Jesus dos Santos (10 anos), Francisco Marto (9 anos) e Jacinta Marto (7 anos) – os três pastorinhos, no dia 13 de julho de 1917 naCova da Iria. De maio a outubro de 1917, as três crianças reivindicaram ter testemunhado a aparição de “uma Senhora mais brilhante do que o Sol” (que teria se apresentado em 13 de outubro como a Virgem Maria, mãe de Jesus, e que é hoje aclamada como Nossa Senhora de Fátima).

 

Segredo

Segundo a Irmã Lúcia, Nossa Senhora, em 13 de julho de 1917, teria revelado um Segredo constituído por três partes, de caráter profético. As duas primeiras partes foram reveladas em 1941 num documento escrito por Lúcia. A terceira parte foi escrita por Lúcia em 3 de janeiro de 1944, por ordem do bispo de Leiria, e revelada em 2000.1

 

Primeira parte

 

A primeira parte é a visão do Inferno:

Nossa Senhora mostrou-nos um grande mar de fogo que parecia estar debaixo da terra. Mergulhados neste fogo os demónios e as almas, como se fossem brasas transparentes e negras ou bronzeadas com forma humana, que flutuavam no incêndio levadas pelas chamas que delas mesmas saíam, juntamente com nuvens de fumo, caindo para todos os lados, semelhante ao cair das faúlhas em os grandes incêndios, sem peso nem equilíbrio, entre gritos e gemidos de dor e desespero que horrorizava e fazia estremecer de pavor. Os demónios distinguiam-se por formas horríveis e asquerosas de animais espantosos e desconhecidos, mas transparentes e negros. Esta vista foi um momento, e graças à nossa boa Mãe do Céu, que antes nos tinha prevenido com a promessa de nos levar para o Céu (na primeira aparição)! Se assim não fosse, creio que teríamos morrido de susto e pavor.2

 

Segunda parte

A segunda parte é a devoção ao Imaculado Coração de Maria e a conversão da Rússia:

Em seguida, levantamos os olhos para Nossa Senhora que nos disse com bondade e tristeza:

Vistes o Inferno, para onde vão as almas dos pobres pecadores. Para as salvar, Deus quer estabelecer no mundo a devoção a meu Imaculado Coração. Se fizerem o que eu disser salvar-se-ão muitas almas e terão paz. A guerra vai acabar, mas se não deixarem de ofender a Deus, no reinado de Pio XI começará outra pior. Quando virdes uma noite, alumiada por uma luz desconhecida,3 sabei que é o grande sinal que Deus vos dá de que vai punir o mundo pelos seus crimes, por meio da guerra, da fome e de perseguições à Igreja e ao Santo Padre. Para a impedir virei pedir a consagração da Rússia a meu Imaculado Coração e a Comunhão Reparadora nos Primeiros Sábados. Se atenderem a meus pedidos, a Rússia se converterá e terão paz, se não, espalhará seus erros pelo mundo, promovendo guerras e perseguições à Igreja, os bons serão martirizados, o Santo Padre terá muito que sofrer, várias nações serão aniquiladas, por fim o meu Imaculado Coração triunfará. O Santo Padre consagrar-me-á a Rússia, que se converterá, e será concedido ao mundo algum tempo de paz.4

 

Terceira parte

 

O conteúdo da terceira parte do Segredo de Fátima, revelado em 13 de Julho de 1917, em Fátima, em que a Ir. Lúcia dos Santos, a única das três videntes ainda viva, redigiu em 3 de Janeiro de 1944, é a seguinte:

“Escrevo, em ato de obediência a Vós meu Deus, que me mandais por meio de Sua Excelência Reverendíssima o Sr. Bispo de Leuria, e da Vossa e minha Santíssima Mãe.Depois das duas partes que já expus, vimos ao lado esquerdo de Nossa Senhora, um pouco mais alto, um anjo com uma espada de fogo na mão esquerda. Ao cintilar despedia chamas que pareciam incendiar o mundo. Mas, apagavam-se com o contato do brilho que da mão direita expedia Nossa Senhora ao seu encontro. O anjo, apontando com a mão direita para a terra, com voz forte dizia: – Penitência, penitência, penitência.

E vimos numa luz imensa, que é Deus, algo semelhante a como se vêem as pessoas no espelho, quando lhe diante passa um bispo vestido de branco. Tivemos o pressentimento de que era o Santo Padre. Vimos vários outros bispos, sacerdotes, religiosos e religiosas subir uma escabrosa montanha, no cimo da qual estava uma grande cruz, de tronco tosco, como se fora de sobreiro como a casca. O Santo Padre, antes de chegar aí, atravessou uma grande cidade, meia em ruínas e meio trêmulo, com andar vacilante, acabrunhado de dor e pena. Ia orando pelas almas dos cadáveres que encontrava pelo caminho.

Chegando ao cimo do monte, prostrado, de joelhos, aos pés da cruz, foi morto por um grupo de soldados que lhe disparavam vários tiros e setas e assim mesmo foram morrendo uns após os outros, os bispos, os sacerdotes, religiosos, religiosas e várias pessoas seculares. Cavalheiros e senhoras de várias classes e posições. Sob os dois braços da cruz, estavam dois anjos. Cada um com um regador de cristal nas mãos recolhendo neles o sangue dos mártires e com eles irrigando as almas que se aproximavam de Deus.5

 

 

Referências

  1. Ir para cima↑IRMÃ LÚCIA – Memórias da Irmã Lúcia. 13ª ed. Fátima: Secretariado dos Pastorinhos, 2007. ISBN 978-972-8524-18-0, p.120.
  2. Ir para cima↑Memórias da Irmã Lúcia, p. 121.
  3. Ir para cima↑Lúcia considerou que a aurora boreal vista na Europa na noite de 25 para 26 de janeiro de 1938 era o sinal de Deus para o começo da guerraMemórias da Irmã Lúcia, p. 122, nota 1.
  4. Ir para cima↑Memórias da Irmã Lúcia, pp. 121-122.
  5. Ir para cima↑Canção Nova – Segredos de Fátima

 

mercedes classe

Milagre do Sol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Milagre do Sol foi um fenómeno meteorológico testemunhado por cerca de 70 mil pessoas em 13 de outubro de 1917 nos campos de Cova da Iria, perto de FátimaPortugal 1 . As estimativas do tamanho da multidão variam de “trinta a quarenta mil” por Avelino de Almeida, escrevendo para o jornal português O Século 2 , a cem mil, segundo estimativa de José de Almeida Garrett, professor de ciências naturais na Universidade de Coimbra 3 . Ambos presenciaram o fenómeno.4

O Milagre

 

As três crianças haviam relatado em datas anteriores que Nossa Senhora tinha prometido um milagre para o meio-dia de 13 de Outubro, na Cova da Iria,5 “de modo que todos pudessem acreditar.”6

De acordo com muitas indicações das testemunhas, por exemplo o avô materno de Fátima Magalhães, entre muitos outros, após uma chuva torrencial, as nuvens desmancharam-se no firmamento e o Sol apareceu como um disco opaco, girando no céu 7 . Algumas afirmaram que não se tratava do Sol, mas de um disco em proporções solares, semelhante à lua. Disse-se ser significativamente menos brilhante do que o normal, acompanhado de luzes multicoloridas, que se reflectiram na paisagem, nas pessoas e nas nuvens circunvizinhas 7 . Foi relatado que o pretenso Sol se teria movido com um padrão de ziguezague 7 , assustando muitos daqueles que o presenciaram, que pensaram ser o fim do mundo 8 . Muitas testemunhas relataram que a terra e as roupas previamente molhadas ficaram completamente secas num curto intervalo de tempo, 9 e, também relatam curas de paralíticos e cegos, assim como demais doenças não explícitas.

De acordo com relatórios das testemunhas, o Milagre do Sol durou aproximadamente dez minutos 10 . As três crianças 11 , relataram terem observado Jesus, a Virgem Maria, e São José abençoando as pessoas dentro ou junto do Sol12 . Outras testemunhas afirmaram ter visto vultos de configuração humana dentro do Sol quando este desceu.

 

Avaliação crítica do evento

 

Durante o dia do fenómeno, não foi reportada nenhuma observação científica extraordinária do Sol em observatórios 13 .

O facto de o pretenso milagre ser anunciado antecipadamente, o abrupto início e final do evento sobre o Sol, a natureza diversa dos observadores, que incluía crentes e descrentes e o grande número de pessoas presentes põem uma barreira à hipótese de alucinação em massa14 . A actividade do Sol reportada, visível a pessoas a 18 quilómetros de distância do lugar, põe uma barreira à hipótese de histeria em massa.

Tentou explicar-se o pretenso milagre com base em fenómenos naturais15 16 17 , Entretanto, o facto inegável da predição de que ia ocorrer em determinada data sem qualquer previsão meteorológica, dispensa a explicação por fenômenos naturais.

O professor Auguste Meessen do Instituto de Física da Universidade Católica da Lovaina, afirmou que as observações relatadas foram efeitos ópticos causados pela prolongada observação directa do Sol. Meessen alega que as imagens residuais na retina, produzidas após breves períodos de olhar fixo no Sol, são a causa provável dos efeitos observados de dança. Semelhantemente, Meessen afirma que as mudanças de cor testemunhadas foram provavelmente causadas pela estimulação excessiva das células fotossensíveis da retina.18 Meessen adverte que milagres do Sol têm sido testemunhados em muitos locais onde peregrinos cheios de religiosidade têm sido encorajados a olhar para o Sol. Ele cita, como exemplo, as aparições em Heroldsbach, Alemanha (1949), onde os mesmos exactos efeitos ópticos foram testemunhados por mais de 10 000 pessoas. O cientista descarta ainda a hipótese de, no caso de Fátima, se ter tratado de um OVNI, visto que este teria de ser demasiado grande para poder ser igualmente visto e confundido com o Sol, à mesma hora, em locais situados num raio de 18 km dali.19 Meesen, contudo, não leva em consideração o facto de os observadores de Fátima não terem contemplado o Sol directamente – premissa basilar para a sua teoria – antes de enxergarem o fenómeno. Ainda, de acordo com os relatos da época, o céu estava encoberto por nuvens, e o fenómeno começou a ser presenciado logo que as pessoas olharam para o céu, sem nenhuma exposição prolongada que causaria excitação na retina de quarenta mil pessoas de forma tão sincronizada.20

Schwebel considera que o fenómeno foi extra-sensorial e supernatural. Este autor afirma que o fenómeno não é único, conhecendo-se vários casos de religiosos que reportaram a visão de luzes brilhantes no céu.21

Stanley L. Jaki, beneditino e autor de livros que tentam conciliar a ciência e o catolicismo, propôs uma teoria para o milagre. Para ele, o fenómeno pode ter sido meteorológicoem natureza, mas o facto de ter ocorrido no exacto tempo prenunciado é um milagre.22

Uma outra explicação que procura conciliar os testemunhos da época, a ciência e o que actualmente se conhece sobre fenómenos similares ocorridos noutros locais, é a de que o Sol que as testemunhas afirmaram ter visto a rodar e a dançar não era realmente o Sol, mas um objecto voador não identificado (ovni) que obscureceu o verdadeiro Sol através de nuvens artificiais ou não e se sobrepôs a ele23 , contudo, não existia tecnologia para isso, nem sequer é coerente dispensar a explicação para aludir a uma visitação extraterrestre.

O evento foi oficialmente aceito como um milagre pela Igreja Católica em 13 de outubro de 1930. Em 13 de outubro de 1951, o cardeal Tedeschini afirma que, em 30 de outubro, 31 de outubro e 1 de novembro e 8 de novembro, o papa Pio XII presenciou um milagre semelhante nos jardins do Vaticano 24 .

O facto de não poder ter sido o Sol a mover-se devido às trágicas consequências para todo o sistema solar põe em causa a interpretação tradicionalmente aceita daquilo que os milhares de testemunhas presenciaram no local onde o fenómeno ocorreu.

Referências

  1. Ir para cima↑(De Marchi 1952a:183–194)
  2. Ir para cima↑(De Marchi 1952a)
  3. Ir para cima↑(De Marchi 1952a:177)
  4. Ir para cima↑(De Marchi 1952a:185–187)
  5. Ir para cima↑(De Marchi 1952b:118)
  6. Ir para cima↑(De Marchi 1952b:46)
  7. Ir para:a b c (De Marchi 1952b:139–150)
  8. Ir para cima↑(De Marchi 1952b:143, 149)
  9. Ir para cima↑(De Marchi 1952b:150)
  10. Ir para cima↑(De Marchi 1952b)
  11. Ir para cima↑(De Marchi 1952a:207–210)
  12. Ir para cima↑(De Marchi 1952b:151–166)
  13. Ir para cima↑(De Marchi 1952b:148–50, 282)
  14. Ir para cima↑(De Marchi 1952b:150, 278–82)
  15. Ir para cima↑Joe Nickell (1993) Looking for a Miracle: Weeping Icons, Relics, Stigmata, Visions and Healing Cures Prometheus,ISBN 0-87975-840-6
  16. Ir para cima↑“Weather Secrets of Miracle at Fatima”, Paul Simons, The Times, fevereiro 17, 2005.
  17. Ir para cima↑Kevin McClure (1983) The Evidence for Visions of the Virgin Mary Aquarian Press,ISBN 0-85030-351-6
  18. Ir para cima↑Auguste Meessen ‘Apparitions and Miracles of the Sun’ International Forum in Porto “Science, Religion and Conscience” October 23-25, 2003 ISSN: 1645-6564
  19. Ir para cima↑Auguste Meessen ‘Apparitions and Miracles of the Sun’ International Forum in Porto “Science, Religion and Conscience” October 23-25, 2003 ISSN: 1645-6564
  20. Ir para cima↑António Augusto Borelli Machado, As aparições e a mensagem de Fátima nos manuscritos da Irmã Lúcia, 23ª edição, Maio de 1998, Depósito Legal nº123 914,ISBN 972-95919-0-3 (páginas 53 a 55)
  21. Ir para cima↑Lisa J Schwebel (2003) Apparitions, Healings, and Weeping Madonnas: Christianity and the Paranormal Paulist Press,ISBN 0-8091-4223-6 (see the American Manazine review)
  22. Ir para cima↑Jaki, Stanley L. (1999). God and the Sun at Fatima. Real View Books, ASIN B0006R7UJ6
  23. Ir para cima↑Fina D’Armada; Joaquim Fernandes: As Aparições de Fátima e o Fenómeno OVNI. Lisboa: Estampa, 1995.
  24. Ir para cima↑Joseph Pelletier. (1983). The Sun Danced at Fatima. Doubleday, New York. p. 147–151.

 

 

Bibliografia

 

  • Luís Filipe Torgal:O Sol Bailou ao Meio-Dia: A Criação de Fátima. Lisboa, Tinta da China, 2011. ISBN 9789896710712.
  • José Barbosa Machado:O Milagre do Sol. Braga, Edições Vercial, 2010. ISBN 9789898392268.
  • Tomás da Fonseca:Na Cova dos Leões. Lisboa, Antígona, 2009. ISBN 9789726082071.

 

Aparições de Fátima

Aparições de Fátima

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

 

No dia 13 de Maio de 1917, três crianças, Lúcia de Jesus dos Santos (10 anos), Francisco Marto (9 anos) e Jacinta Marto (7 anos), afirmaram ter visto “…uma senhora mais branca que o Sol” sobre uma azinheira de um metro ou pouco mais de altura, quando apascentavam um pequeno rebanho na Cova da Iria, lugar de Aljustrel, pertencente ao concelho de Ourém, distrito de SantarémPortugal.
Lúcia via, ouvia e falava com a aparição, Jacinta via e ouvia e Francisco apenas via, mas não a ouvia.
As aparições repetiram-se nos cinco meses seguintes e seriam portadoras de uma mensagem ao mundo. A 13 de Outubro de 1917 a aparição disse-lhes ser a Nossa Senhora do Rosário.1

Os relatos destes acontecimentos foram redigidos pela Irmã Lúcia a partir de 1935, em quatro manuscritos, habitualmente designados por Memórias I, II, III e IV2 e transcritos com outras fontes para este artigo.

Aparições do Anjo

 

Antes das aparições de Nossa Senhora na Cova da Iria em 1917, Lúcia, Francisco e Jacinta tiveram no ano anterior três visões do Anjo de Portugal ou Anjo da Paz. Estas visões permaneceram inéditas até 1937, até Lúcia as divulgar, pela primeira vez, no designado texto Memória II. A narração é mais completa e o texto definitivo das orações do anjo é publicado na Memória IV, escrito em 1941. As aparições do Anjo em 1916, foram precedidas por três outras visões, de Abril a Outubro de 1915, nas quais Lúcia e outras três pastorinhas, Maria Rosa Matias, Teresa Matias e Maria Justino viram, também no outeiro do Cabeço, e noutros locais, suspensa no ar sobre o arvoredo do vale “uma como que nuvem mais branca que a neve, algo transparente, com forma humana. Era uma figura, como se fosse uma estátua de neve, que os raios do sol tornavam algo transparente”. A descrição é da própria irmã Lúcia.3

 

Primeira aparição

O relato da mais velha dos videntes, Lúcia, descreve assim os acontecimentos: “Andava eu com os meus primos Francisco e Jacinta a cuidar do rebanho e subimos a encosta em procura dum abrigo a que chamávamos a “Loca do Cabeço”. Depois de aí merendar e rezar, alguns momentos havia que jogávamos e eis que um vento sacode as árvores e faz-nos levantar a vista para ver o que se passava, pois o dia estava sereno. Então começámos a ver, a alguma distância, sobre as árvores que se estendiam em direcção aonascente, uma luz mais branca que a neve, com a forma dum jovem, transparente, mais brilhante que um cristal atravessado pelos raios do Sol. À medida que se aproximava, íamos-lhe distinguindo as feições. Estávamos surpreendidos e meios absortos. Não dizíamos palavra. Ao chegar junto de nós, disse: – Não temais. Sou o Anjo da Paz. Orai comigo. E ajoelhando em terra, curvou a fronte até ao chão. Levados por um movimento sobrenatural, imitámo-lo e repetimos as palavras que lhe ouvimos pronunciar: – Meu Deus, eu creio, adoro, espero e amo-Vos. Peço-Vos perdão para os que não crêem, não adoram, não esperam e não Vos amam. Depois de repetir isto três vezes, ergueu-se e disse: – Orai assim. Os Corações de Jesus e Maria estão atentos à voz das vossas súplicas. E desapareceu. A atmosfera do sobrenatural que nos envolveu era tão intensa, que quase não nos dávamos conta da própria existência, por um grande espaço de tempo, permanecendo na posição em que nos tinha deixado, repetindo sempre a mesma oração. A presença de Deus sentia-se tão intensa e íntima que nem mesmo entre nós nos atrevíamos a falar. No dia seguinte, sentíamos o espírito ainda envolvido por essa atmosfera que só muito lentamente foi desaparecendo. Nesta aparição, nenhum pensou em falar nem em recomendar o segredo. Ela de si o impôs. Era tão íntima que não era fácil pronunciar sobre ela a menor palavra. Fez-nos, talvez, também maior impressão, por ser a primeira assim manifesta.”4

 

Segunda aparição

 

A segunda aparição deu-se no Verão de 1916, sobre o poço da casa dos pais de Lúcia, junto ao qual as crianças costumavam brincar. Assim narra a Irmã Lúcia: “Fomos, pois passar as horas da sesta à sombra das árvores que cercavam o poço já várias vezes mencionado. De repente, vimos o mesmo Anjo junto de nós. – Que fazeis? Orai! Orai muito! Os Corações de Jesus e Maria têm sobre vós desígnios de misericórdia. Oferecei constantemente ao Altíssimo orações e sacrifícios. – Como nos havemos de sacrificar? – perguntei. – De tudo que puderdes, oferecei um sacrifício em acto de reparação pelos pecados com que Ele é ofendido e de súplica pela conversão dos pecadores. Atraí, assim, sobre a vossa Pátria, a paz. Eu sou o Anjo da sua guarda, o Anjo de Portugal. Sobretudo, aceitai e suportai com submissão o sofrimento que o Senhor vos enviar. E desapareceu. Estas palavras do Anjo gravaram-se em nosso espírito, como uma luz que nos fazia compreender quem era Deus, como nos amava e queria ser amado, o valor do sacrifício e como ele Lhe era agradável, como, por atenção a ele, convertia os pecadores. Por isso, desde esse momento, começamos a oferecer ao Senhor tudo que nos mortificava, mas sem discorrermos a procurar outras mortificações ou penitências, excepto a de passarmos horas seguidas prostrados por terra, repetindo a oração que o Anjo nos tinha ensinado.”

Terceira aparição

A terceira aparição ocorreu no fim do Verão ou princípio de Outono de 1916, novamente na “Loca do Cabeço”, como descreve Lúcia: “Rezámos aí o terço e (a) oração que na primeira aparição nos tinha ensinado. Estando, pois, aí, apareceu-nos pela terceira vez, trazendo na mão um cálice e sobre ele uma Hóstia, da qual caíam, dentro do cálix, algumas gotas de sangue. Deixando o cálice e a Hóstia suspensos no ar, prostrou-se em terra e repetiu três vezes a oração:  Santíssima Trindade, Padre, Filho, Espírito Santo, adoro-Vos profundamente e ofereço-Vos o preciosíssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo, presente em todos os sacrários da terra, em reparação dos ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que Ele mesmo é ofendido. E pelos méritos infinitos do Seu Santíssimo Coração e do Coração Imaculado de Maria, peço-Vos a conversão dos pobres pecadores. Depois, levantando-se, tomou de novo na mão o cálice e a Hóstia e deu-me a Hóstia a mim e o que continha o cálice deu-o a beber à Jacinta e ao Francisco, dizendo, ao mesmo tempo: – Tomai e bebei o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo horrivelmente ultrajado pelos homens ingratos. Reparai os seus crimes e consolei o vosso Deus. De novo se prostrou em terra e repetiu connosco mais três vezes a mesma oração: – Santíssima Trindade… etc. E desapareceu. Levados pela força do sobrenatural que nos envolvia, imitávamos o Anjo em tudo, isto é, prostrando-nos como Ele e repetindo as orações que Ele dizia. A força da presença de Deus era tão intensa que nos absorvia e aniquilava quase por completo. Parecia privar-nos até do uso dos sentidos corporais por um grande espaço de tempo. Nesses dias, fazíamos as ações materiais como que levados por esse mesmo ser sobrenatural que a isso nos impelia. A paz e felicidade que sentíamos era grande, mas só íntima, completamente concentrada a alma em Deus. O abatimento físico, que nos prostrava, também era grande.”5

Aparições de Nossa Senhora

13 de Maio de 1917

Brincavam os três pastorinhos na Cova da Iria, uma pequena propriedade pertencente aos pais de Lúcia, localizada a 2,5 km de Fátima, quando por volta do meio-dia e depois de rezarem o terço, observaram dois clarões como se fossem relâmpagos. Com receio de começar a chover, reuniram o rebanho e decidiram ir-se embora, mas no caminho e logo abaixo, outro clarão teria iluminado o espaço. Nesse instante, teriam visto em cima de uma pequena azinheira (onde agora se encontra a Capelinha das Aparições), “era uma Senhora vestida de branco e mais brilhante que o Sol, espargindo luz mais clara e intensa que um copo de cristal cheio de água cristalina, atravessado pelos raios do sol mais ardente”, descreve Lúcia. “A sua face, indescritivelmente bela não era nem triste, nem alegre, mas séria, com ar de suave censura. As mãos juntas, como a rezar, apoiadas no peito e voltadas para cima. Da mão direita pendia um rosário. As vestes pareciam feitas só de luz. A túnica era branca e branco o manto, orlado de ouro que cobria a cabeça da Virgem e lhe descia até aos pés. Não se Lhe viam os cabelos nem as orelhas.” Os traços da fisionomia Lúcia nunca pôde descrevê-los, pois a sua formosura não cabe em palavras humanas. Os videntes estavam tão pertos de Nossa Senhora – a um metro de distância, mais ou menos – que ficavam dentro da luz que A cercava, ou que Ela espargia. O colóquio inicia-se da seguinte maneira:
Nossa Senhora: – Não tenhais medo. Eu não vos faço mal. Lúcia: – Donde é Vossemecê? – Sou do Céu (e Nossa Senhora ergueu as mãos apontando o Céu). – E que é que Vossemecê me quer? – Vim para vos pedir que venhais aqui seis meses seguidos, no dia 13, a esta mesma hora. Depois vos direi quem sou e o que quero. Depois voltarei ainda aqui uma sétima vez.nota 1 – E eu também vou para o Céu? – Sim, vais. – E a Jacinta? – Também. – E o Francisco? – Também, mas tem que rezar muitos terços. – A Maria das Neves já está no Céu? (Lúcia referia-se a uma mulher que tinha morrido recentemente) – Sim, está. – E a Amélia? – Estará noPurgatório até ao fim do mundo. Quereis oferecer-vos a Deus para suportar todos os sofrimentos que Ele quiser enviar-vos, em acto de reparação pelos pecados com que Ele é ofendido e de súplica pela conversão dos pecadores? – Sim, queremos. – Ides pois ter muito que sofrer, mas a graça de Deus será o vosso conforto. “Foi ao pronunciar estas últimas palavras que abriu pela primeira vez as mãos comunicando-nos uma luz muito intensa, como que reflexo que delas expedia, que nos penetrava no peito e no mais intimo da alma, fazendo-nos ver a nós mesmos em Deus, que era essa luz, mais claramente do que nos vemos no melhor dos espelhos. Então, por um impulso intimo também comunicado, caímos de joelhos e repetimos intimamente ó Santíssima Trindade, eu Vos adoro, meu Deus meu Deus eu Vos amo no Santíssimo Sacramento. Passados estes momentos, Nossa Senhora acrescentou: – Rezem o terço todos os dias para alcançarem a paz para o mundo e o fim da guerra (na altura desenrolava-se a Primeira Guerra Mundial).
“Em seguida começou a elevar-se serenamente em direção ao nascente até desaparecer na imensidade da distância. A luz que A circundava ia como que abrindo um caminho no cerrado dos astros”.6

13 de Junho de 1917

 

Neste dia compareceram no local cerca de 50 pessoas curiosas pelos factos entretanto revelados pelos pastorinhos. Por volta do meio-dia, os videntes notaram novamente um clarão, a que chamavam relâmpago, mas que não era propriamente tal, mas sim o reflexo de uma luz que se aproximava. Alguns dos espectadores notaram que a luz do sol se obscureceu durante os minutos que se seguiram ao início do colóquio, outros afirmaram que o topo da azinheira, coberto de rebentos, pareceu curvar-se como sob um peso, um momento antes da Lúcia falar. Durante a troca de palavras entre Lúcia e a aparição alguns ouviram um sussurro como se fosse o zumbido de uma abelha.
Lúcia: – Vossemecê que me quer? Nossa Senhora: – Quero que venhais aqui no dia 13 do mês que vem, que rezeis o terço todos os dias e que aprendam a ler. Depois, direi o que quero. Lúcia pediu a cura de um doente. – Se se converter, curar-se-á durante o ano. – Queria pedir-Lhe para nos levar para o Céu. – Sim, a Jacinta e o Francisco levo-os em breve. Mas tu ficas cá mais algum tempo. Jesus quer servir-se de ti para Me fazer conhecer e amar. Ele quer estabelecer no mundo a devoção ao meu Imaculado Coração. A quem a abraçar, prometo a salvação e serão queridas de Deus estas almas, como flores postas por Mim a adornar o seu trono. – Fico cá sozinha? – Não, filha. E tu sofres muito? Não desanimes. Eu nunca te deixarei. O meu Imaculado Coração será o teu refúgio e o caminho que te conduzirá até Deus. “Foi no momento que disse estas últimas palavras que abriu as mãos e nos comunicou, pela segunda vez, o reflexo dessa luz imensa. Nela nos víamos como que submergidos em Deus. A Jacinta e o Francisco pareciam estar na parte dessa luz que se elevava para o céu e eu na que se espargia sobre a terra. À frente da palma da mão direita de Nossa Senhora estava um coração cercado de espinhos que parecia estarem-lhe cravados. Compreendemos que era o Imaculado Coração de Maria ultrajado pelos pecados da humanidade que queria reparação. Quando se desvaneceu esta visão, a Senhora, envolta ainda na luz que d’Ela irradiava, elevou-se da arvorezinha sem esforço, suavemente na direção do leste até desaparecer de todo.”
Algumas pessoas mais próximas notaram que os rebentos do topo da azinheira estavam tombados na mesma direção, como se as vestes da Senhora os tivessem arrastado. Só algumas horas mais tarde retomaram a posição natural.7

13 de Julho de 1917

 

Ao dar-se a terceira aparição, uma nuvenzinha acizentada pairou sobre a azinheira, o sol ofuscou-se, uma aragem fresca soprou sobre a serra, embora se estivesse em pleno Verão. O Sr. Manuel Marto, pai da Jacinta e do Francisco, diz que também ouviu um sussurro, como o de moscas num cântaro vazio. Os videntes viram o reflexo da costumada luz e, em seguida, Nossa Senhora sobre a carrasqueira.
Lúcia: – Vossemecê que me quer? Nossa Senhora: – Quero que venhais aqui no dia 13 do mês que vem, que continuem a rezar o terço todos os dias, em honra de Nossa Senhora do Rosário para obter a paz do mundo e o fim da guerra, porque só Ela lhes poderá valer. – Queria pedir-lhe para nos dizer quem é; para fazer um milagre com que todos acreditem que Vossemeçê nos aparece. – Continuem a vir aqui todos os meses. Em Outubro direi quem sou, o que quero e farei um milagre que todos hão-de ver para acreditarem. Lúcia apresenta então uma série de pedidos de conversões, curas e outras graças. Nossa Senhora responde recomendando sempre a prática do terço, que assim alcançariam as graças durante o ano. Um dos pedidos foi a cura do filho paralítico de Maria Carreira (que seria desde o início uma devota de Fátima). Nossa Senhora respondeu que não o curaria nem o tiraria da sua pobreza, mas que rezasse o terço todos os dias em família e dar-lhe-ia os meios de ganhar a vida. Outro enfermo pedia para ir em breve para o Céu. Nossa Senhora respondeu que não tivesse pressa, que bem sabia quando o havia de vir buscar. Depois prosseguiu: – Sacrificai-vos pelos pecadores e dizei muitas vezes e em especial quando fizerdes algum sacrifício: “ó Jesus, é por vosso amor, pela conversão dos pecadores e em reparação pelos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria.” “Ao dizer estas últimas palavras, abriu de novo as mãos, como nos dois meses passados. O reflexo de luz que delas expediam pareceu penetrar a terra e (primeira parte do segredo – “A Visão do Inferno”) mostrou-nos um grande mar de fogo que parecia estar debaixo da terra. Mergulhados nesse fogo os demônios e as almas, como se fossem brasas transparentes e negras, ou bronzeadas com forma humana, que flutuavam no incêndio levadas pelas chamas que d’elas mesmas saíam, juntamente com nuvens de fumo, caindo para todos os lados, semelhante ao cair das fagulhas em os grandes incêndios sem peso nem equilíbrio, entre gritos e gemidos de dôr e desespero que horrorizava e fazia estremecer de pavor. Os demónios distinguiam-se por formas horríveis e asquerosas de animais espantosos e desconhecidos, mas transparentes e negros. Esta vista foi um momento, e graças à nossa boa Mãe do Céu que antes nos tinha prevenido com a promessa de nos levar para o Céu (na primeira aparição), se assim não fosse, creio que teríamos morrido de susto e pavor. Em seguida, levantamos os olhos para Nossa Senhora que nos disse com bondade e tristeza: – Vistes o Inferno, para onde vão as almas dos pobres pecadores. Para as salvar, (segunda parte do segredo – “O Imaculado Coração de Maria”) Deus quer estabelecer no mundo a devoção a meu Imaculado CoraçãoSe fizerem o que eu disser salvar-se-ão muitas almas e terão paz. A guerra vai acabar, mas se não deixarem de ofender a Deus, no reinado de Pio XInota 2 começará outra pior. Quando virdes uma noite, alumiada por uma luz desconhecidanota 3 , sabei que é o grande sinal que Deus vos dá de que vai a punir o mundo de seus crimes, por meio da guerra, da fome e de perseguições à Igreja e ao Santo Padre. Para a impedir, virei pedir a consagração da Rússia a meu Imaculado Coração e a comunhão reparadora nos primeiros sábadosnota 4 . Se atenderem aos meus pedidos, a Rússia se converterá e terão paz, se não, espalhará seus erros pelo mundo, promovendo guerras e perseguições à Igreja, os bons serão martirizados, o Santo Padre terá muito que sofrer, várias nações serão aniquiladas. Por fim o meu Imaculado Coração triunfará. O Santo Padre consagrar-me-á a Rússia, que se converterá, e será concedido ao mundo algum tempo de paz. Em Portugal se conservará sempre o dogma da fé. “Então vimos (terceira parte do segredo – “O atentado ao Papa”) ao lado esquerdo de Nossa Senhora um pouco mais alto um Anjo com uma espada de fogo na mão esquerda; ao cintilar, soltava chamas que pareciam incendiar o mundo; mas apagavam-se com o contacto do brilho que da mão direita expedia Nossa Senhora ao seu encontro. O Anjo apontando com a mão direita para a terra, com voz forte dizia: “Penitência, Penitência, Penitência!” E vimos n’uma luz imensa que é Deus: “algo semelhante a como se vêem as pessoas n’um espelho quando lhe passam por diante” um Bispo vestido de branco “tivemos o pressentimento de que era o Santo Padre”. Vários outros bispos, sacerdotes, religiosos e religiosas subiam uma escabrosa montanha, no cimo da qual estava uma grande Cruz de troncos toscos como se fôra de sobreiro com a casca; o Santo Padre, antes de chegar aí, atravessou uma grande cidade meia em ruínas, e meio trémulo com andar vacilante, acabrunhado de dôr e pena, ia orando pelas almas dos cadáveres que encontrava pelo caminho; chegado ao cimo do monte, prostrado de joelhos aos pés da grande Cruz foi morto por um grupo de soldados que lhe dispararam vários tiros e setas, e assim mesmo foram morrendo uns trás dos outros os Bispos, Sacerdotes, religiosos e religiosas e várias pessoas seculares, cavalheiros e senhoras de várias classes e posições. Sob os dois braços da Cruz estavam dois Anjos cada um com um regador de cristal na mão, n’êles recolhiam o sangue dos Mártires e com ele regavam as almas que se aproximavam de Deus.” Terminada esta visão, disse Nossa Senhora: – Isto não o digais a ninguém. Ao Francisco sim, podeis dizê-lo. Quando rezardes o terço, dizei depois de cada mistério: “Ó meu Jesus! Perdoai-nos e livrai-nos do fogo do Inferno, levai as almas todas para o Céu, principalmente aquelas que mais precisarem. – Vossemecê não me quer mais nada? – Não. Hoje não te quero mais nada. “E como de costume, começou a elevar-Se em direção ao nascente, até desaparecer na imensa distância do firmamento.” Ouviu-se então um trovão, indicando que a aparição cessara.8 9

19 de Agosto de 1917

 

No dia 13 de Agosto, quando deveria dar-se a quarta aparição, os videntes não puderam ir à Cova da Iria, pois foram raptados pelo então administrador do concelho de Vila Nova de OurémArtur de Oliveira Santos, um republicano anticlerical e maçon10 11 ,que à força quis arrancar-lhes o segredo.

Nesse dia, juntou-se uma grande multidão que aguardava pela aparição. Por volta do meio-dia, ouviu-se um trovão, ao qual se seguiu o relâmpago, tendo os espectadores notado uma pequena nuvem branca que pairou alguns minutos sobre a azinheira. Observaram-se também fenómenos de coloração, de diversas cores, nos rostos das pessoas, das roupas, das árvores e do chão. As crianças continuaram em cativeiro e apesar das várias ameaças físicas de que foram alvo, permaneceram inabaláveis e nada revelaram.

Na manhã do dia 15 de Agosto e a seguir a um interrogatório final, foram então libertadas e regressaram a Fátima.12
No dia 19 de Agosto de 191713 , Lúcia estava com Francisco e seu irmão João no lugar dos Valinhos, uma propriedade de um dos seus tios e que dista uns 500 metros deAljustrel. Pelas 4 horas da tarde, começaram a produzir-se as alterações atmosféricas que precederam as aparições anteriores, uma súbita diminuição da temperatura e um esmorecimento do Sol. Lúcia, sentindo que alguma coisa de sobrenatural se aproximava e os envolvia, pediu ao primo João para chamar rápidamente a Jacinta, a qual chegou a tempo de ver Nossa Senhora que – anunciada, como das outras vezes, por um reflexo de luz – apareceu sobre uma azinheira, um pouco maior que a da Cova da Iria.revista maria online
Lúcia: – Que é que Vossemecê me quer? Nossa Senhora: -Quero que continueis a ir à Cova da Iria no dia 13, que continueis a rezar o terço todos os dias. No último mês farei o milagre para que todos acreditem. – Que é que Vossemecê quer que se faça ao dinheiro que o povo deixa na Cova da Iria? – Façam dois andores, um leva-o tu com a Jacinta e mais duas meninas; o outro que o leve o Francisco com mais três meninos. O dinheiro dos andores é para a festa de Nossa Senhora do Rosário e o que sobrar é para a ajuda de uma capela que hão-de mandar fazer. -Queria pedir-lhe a cura de alguns doentes. -Sim, alguns curarei durante o ano. E tomando um aspeto mais triste, recomendou-lhes novamente a prática da mortificação: – Rezai, rezai muito e fazei sacrifícios pelos pecadores, que vão muitas almas para o Inferno por não haver quem se sacrifique e peça por elas. “E, como de costume, começou a elevar-Se em direção ao nascente.” Os videntes cortaram ramos da árvore sobre a qual Nossa Senhora lhes tinha aparecido e levaram-nos para casa. Os ramos exalavam um perfume singularmente suave.14

13 de Setembro de 1917

 

 

Como das outras vezes, uma série de fenómenos atmosféricos foram observados pelos circunstantes, cujo número foi calculado entre 15 e 20 000 pessoas: o súbito refrescar da atmosfera, o empalidecer do Sol até ao ponto de se verem as estrelas, uma espécie de chuva como que de pétalas irisadas ou flocos de neve que desapareciam antes de pousarem na terra. Em particular, foi notado desta vez um globo luminoso que se movia lenta e majestosamente pelo céu, do nascente para o poente e, no fim da aparição, em sentido contrário. Os videntes notaram, como de costume, o reflexo de uma luz e, a seguir, Nossa Senhora sobre a azinheira.
Nossa Senhora: – Continuem a rezar o terço para alcançarem o fim da guerra. Em Outubro, virá também Nosso Senhor, Nossa Senhora das Dores e do Carmo, São José com o Menino Jesus, para abençoarem o Mundo. Deus está contente com os vossos sacrifícios, mas não quer que durmais com a corda. Trazei-a só durante o dia.nota 5 Lúcia: – Têm-me pedido para Lhe pedir muitas coisas, a cura de alguns doentes, de um surdo-mudo. – Sim, alguns curarei. Outros não. Em Outubro farei o milagre para que todos acreditem. “E começando a elevar-Se, desapareceu como de costume.”15

 

13 de Outubro de 1917

Devido ao facto de os pastorinhos terem revelado que a Virgem Maria iria fazer um milagre neste dia para que todos acreditassem, estavam presentes na Cova da Iria cerca de 50 mil pessoas, segundo os relatos da época. Chovia com abundância e a multidão aguardava as três crianças nos terrenos enlameados da serra. Lúcia assim descreve estes acontecimentos na Memória IV: “Saímos de casa bastante cedo, contando com as demoras do caminho. O povo era em massa. A chuva, torrencial. Minha mãe, temendo que fosse aquele o último dia da minha vida, com o coração retalhado pela incerteza do que iria acontecer, quis acompanhar-me. Pelo caminho, as cenas do mês passado, mais numerosas e comovedoras. Nem a lamaceira dos caminhos impedia essa gente de se ajoelhar na atitude mais humilde e suplicante. Chegados à Cova de Iria, junto da carrasqueira, levada por um movimento interior, pedi ao povo que fechasse os guarda-chuvas para rezarmos o terço. Pouco depois, vimos o reflexo da luz e, em seguida, Nossa Senhora sobre a carrasqueira.
Lúcia: – Que é que Vossemecê me quer? Nossa Senhora: – Quero dizer-te que façam aqui uma capela em Minha honra, que sou aSenhora do Rosário, que continuem sempre a rezar o terço todos os dias. A guerra vai acabar e os militares voltarão em breve para suas casas. – Eu tinha muitas coisas para Lhe pedir: se curava uns doentes e se convertia uns pecadores, etc. – Uns, sim; outros, não. É preciso que se emendem, que peçam perdão dos seus pecados. E tomando um aspecto mais triste: – Não ofendam mais a Deus Nosso Senhor que já está muito ofendido. E abrindo as mãos, fê-las reflectir no Sol. E enquanto que se elevava, continuava o reflexo da Sua própria luz a projectar-se no Sol.”

Neste momento, Lúcia diz para a multidão olhar para o Sol, levada por um movimento interior que a isso a impeliu. “Desaparecida Nossa Senhora, na imensa distância do firmamento, vimos, ao lado do Sol, S. José com o Menino e Nossa Senhora vestida de branco, com um manto azul.” Era a Sagrada Família.

 

“S. José com o Menino pareciam abençoar o Mundo com uns gestos que faziam com a mão em forma de cruz. Pouco depois, desvanecida esta aparição, vi Nosso Senhor acabrunhado de dôr a caminho do Calvário e Nossa Senhora que me dava a ideia de ser Nossa Senhora das Dores.” Lúcia via apenas a parte superior do corpo de Nosso Senhor e Nossa Senhora não tinha a espada no peito “Nosso Senhor parecia abençoar o Mundo da mesma forma que S. José. Desvaneceu-se esta aparição e pareceu-me ver ainda Nossa Senhora, em forma semelhante a Nossa Senhora do Carmo, com o Menino Jesus ao colo.”

Enquanto os três pastorinhos eram agraciados com estas visões (apenas Lúcia viu os três quadros, Jacinta e Francisco viram somente o primeiro), a maior parte da multidão presente observou o chamado O Milagre do Sol. A chuva que caía cessou, as nuvens entreabriram-se deixando ver o Sol, assemelhando-se a um disco de prata fosca, podia fitar-se sem dificuldade sem cegar. A imensa bola começou a girar vertiginosamente sobre si mesma como uma roda de fogo. Depois, os seus bordos tornaram-se escarlates e deslizou no céu, como um redemoinho, espargindo chamas vermelhas de fogo. Essa luz refletia-se no solo, nas árvores, nas próprias faces das pessoas e nas roupas, tomando tonalidades brilhantes e diferentes cores. Animado três vezes por um movimento louco, o globo de fogo pareceu tremer, sacudir-se e precipitar-se em ziguezague sobre a multidão aterrorizada. Tudo durou uns dez minutos. Finalmente, o Sol voltou em ziguezague para o seu lugar e ficou novamente tranquilo e brilhante. Muitas pessoas notaram que as suas roupas, ensopadas pela chuva, tinham secado súbitamente. Tal fenómeno foi testemunhado por milhares de pessoas, até mesmo por outras que estavam a quilómetros do lugar das aparições. O relato foi publicado na imprensa por diversos jornalistas que ali se deslocaram e que foram também eles, testemunhas do milagre.
O ciclo das aparições em Fátima tinha terminado.16

Aparições particulares a Jacinta

 

  • Jacinta vê o Santo Padre– Lúcia assim relata na sua Terceira Memória: “Um dia, fomos passar as horas da sesta para junto do poço de meus pais. A Jacinta sentou-se nas lajes do poço; o Francisco, comigo, foi procurar o mel silvestre nas silvas dum silvado duma ribanceira que aí havia. Passado um pouco de tempo, a Jacinta chama por mim: – Não viste o Santo Padre? – Não! – Não sei como foi! Eu vi o Santo Padre em uma casa muito grande, de joelhos, diante de uma mesa, com as mãos na cara, a chorar. Fora da casa estava muita gente e uns atiravam-Ihe pedras, outros rogavam-lhe pragas e diziam-lhe muitas palavras feias. Coitadinho do Santo Padre! Temos que pedir muito por Ele. Em outra ocasião, fomos para a Lapa do Cabeço. Chegados aí, prostrámo-nos por terra, a rezar as orações do Anjo. Passado algum tempo, a Jacinta ergue-se e chama por mim:– Não vês tanta estrada, tantos caminhos e campos cheios de gente, a chorar com fome, e não tem nada para comer? E o Santo Padre em uma Igreja, diante do Imaculado Coração de Maria, a rezar? E tanta gente a rezar com Ele?
  • Visões da guerra– “Um dia fui a sua casa, para estar um pouco com ela. Encontrei-a sentada na cama, muito pensativa. – Jacinta, que estás a pensar? – Na guerra que há-de vir. Há-de morrer tanta gente! E vai quase toda para o inferno! Hão-de ser arrasadas muitas casas e mortos muitos Padres (tratava-se da Segunda Guerra Mundial). Olha: eu vou para o Céu. E tu, quando vires, de noite, essa luz que aquela Senhora disse que vem antes, foge para lá também! – Não vês que para o Céu não se pode fugir? – É verdade! Não podes. Mas não tenhas medo! Eu, no Céu, hei-de pedir muito por ti, por o Santo Padre, por Portugal, para que a guerra não venha para cá, e por todos os Sacerdotes.
  • Visitas de Nossa Senhora– A 23 de Dezembro de 1918, Francisco e Jacinta adoeceram ao mesmo tempo. Indo visitá-los, Lúcia encontrou Jacinta no auge da alegria. Na sua Primeira Memória, Lúcia conta: “Um dia mandou-me chamar: que fosse junto dela depressa. Lá fui, correndo. – Nossa Senhora veio-nos ver e diz que vem buscar o Francisco muito breve para o Céu. E a mim perguntou-me se queria ainda converter mais pecadores. Disse-Lhe que sim. Disse-me que ia para um hospital, que lá sofreria muito; que sofresse pela conversão dos pecadores, em reparação dos pecados contra o Imaculado Coração de Maria e por amor de Jesus. Perguntei se tu ias comigo. Disse que não. Isto é o que me custa mais. Disse que ia minha mãe levar-me e, depois, fico lá sozinha! Em fins de Dezembro de 1919, de novo a Santíssima Virgem se dignou visitar a Jacinta, para Ihe anunciar novas cruzes e sacrifícios. Deu-me a notícia e dizia-me: – Disse-me que vou para Lisboa, para outro hospital; que não te torno a ver, nem os meus pais; que, depois de sofrer muito, morro sozinha, mas que não tenha medo; que me vai lá Ela buscar para o Céu. Durante a sua permanência de 18 dias no hospital em Lisboa, Jacinta foi favorecida com novas visitas de Nossa Senhora, que lhe anunciou o dia e a hora em que haveria de morrer. Quatro dias antes de a levar para o Céu, a Santíssima Virgem tirou-lhe todas as dôres. Nas vésperas da sua morte, alguém lhe perguntou se queria ver a mãe, ao que ela respondeu: – A minha família durará pouco tempo e em breve se encontrarão no Céu… Nossa Senhora aparecerá outra vez, mas não a mim, porque com certeza morro, como Ela me disse”.17

 

 

Aparições particulares a Lúcia

  • 10 de Dezembrode 1925 – Encontrando-se Lúcia na sua cela, na Casa das Religiosas Doroteias em Pontevedra, apareceu-lhe a SS. Virgem e, ao lado, suspenso em uma nuvem luminosa, um Menino. A SS. Virgem, pondo-lhe no ombro a mão e mostrando, ao mesmo tempo, um coração que tinha na outra mão, cercado de espinhos. Ao mesmo tempo, disse o Menino: – Tem pena do Coração de tua SS. Mãe que está coberto de espinhos que os homens ingratos a todos os momentos Lhe cravam sem haver quem faça um acto de reparação para os tirar. Em seguida, disse a SS. Virgem: – Olha, minha filha, o Meu Coração cercado de espinhos que os homens ingratos a todos os momentos Me cravam, com blasfémias e ingratidões. Tu, ao menos, vê de Me consolar e diz que todos aqueles que durante 5 meses, ao 1.° sábado, se confessarem, recebendo a Sagrada Comunhão, rezarem um Terço e Me fizerem 15 minutos de companhia, meditando nos 15 mistérios do Rosário, com o fim de Me desagravar, Eu prometo assistir-lhes, na hora da morte, com todas as graças necessárias para a salvação dessas almas.
  • 15 de Fevereirode 1926 – Neste dia encontrava-se Lúcia no pátio que dá para a rua da mesma Casa das Religiosas Doroteias. Apareceu-lhe, de novo, o Menino Jesus. Perguntou se já tinha espalhado a devoção a Sua SS. Mãe. A vidente expôs-Lhe as dificuldades apresentadas pelo seu confessor e que a Madre Superiora estava pronta a propagá-la, mas que o confessor tinha dito que ela, só, nada podia. Jesus respondeu: – É verdade que a tua Superiora, só nada pode; mas, com a Minha graça, pode tudo.Lúcia apresentou a Jesus a dificuldade que tinham algumas pessoas em se confessar ao sábado e pediu para ser válida a confissão de oito dias. Jesus respondeu: – Sim, pode ser de muitos mais ainda, contanto que, quando Me receberem, estejam em graça e que tenham a intenção de desagravar o Imaculado Coração de Maria. Ela perguntou: – Meu Jesus, as que se esquecerem de formar essa intenção?. Jesus respondeu: – Podem formá-la na outra confissão seguinte, aproveitando a primeira ocasião que tiverem de se confessar.
  • 13 de Junhode 1929 – Lúcia assim relata esta aparição: “Eu tinha pedido e obtido licença das minhas superioras e confessor para fazer a Hora-Santa das 11 à meia-noite, de quintas para sextas-feiras. Estando uma noite só, ajoelhei-me entre a balaustrada, no meio da capela, a rezar, prostrada, as Orações do Anjo. Sentindo-me cansada, ergui-me e continuei a rezá-las com os braços em cruz. A única luz era a da lâmpada. De repente iluminou-se toda a Capela com uma luz sobrenatural e sobre o Altar apareceu uma Cruz de luz que chegava até ao tecto. Em uma luz mais clara via-se, na parte superior da cruz, uma face de homem com corpo até à cinta, sobre o peito uma pomba também de luz e, pregado na cruz, o corpo de outro homem. Um pouco abaixo da cinta, suspenso no ar, via-se um cálix e uma hóstia grande, sobre a qual caíam algumas gotas de sangue que corriam pelas faces do Crucificado e duma ferida do peito. Escorregando pela Hóstia, essas gotas caíam dentro do Cálix. Sob o braço direito da cruz estava Nossa Senhora (era Nossa Senhora de Fátima com o Seu Imaculado Coração na mão esquerda, sem espada nem rosas, mas com uma Coroa de espinhos e chamas). Sob o braço esquerdo, umas letras grandes, como se fossem de água cristalina que corresse para cima do Altar, formavam estas palavras: «Graça e Misericórdia». Compreendi que me era mostrado o mistério da Santíssima Trindade e recebi luzes sobre este mistério que não me é permitido revelar. Depois Nossa Senhora disse-me: – É chegado o momento em que Deus pede para o Santo Padre fazer, em união com todos os Bispos do Mundo, a Consagração da Rússia ao Meu Imaculado Coração, prometendo salvá-la por este meio. São tantas as almas que a justiça de Deus condena por pecados contra Mim cometidos que venho pedir reparação: sacrifica-te por esta intenção e ora. Dei conta disto ao confessor que me mandou escrever o que Nossa Senhora queria se fizesse. Mais tarde, por meio duma comunicação íntima, Nossa Senhora disse-me, queixando-se: – Não quiseram atender ao Meu pedido!… Como o rei de Françanota 6 , arrepender-se-ão e fá-la-ão, mas será tarde. A Rússia terá já espalhado os seus erros pelo mundo, provocando guerras, perseguições à igreja: O Santo Padre terá muito que sofrer.

 

Eventos históricos

 

Apresenta-se a seguir uma cronologia de alguns eventos históricos relacionados com a mensagem e as aparições de Fátima:

Notas

  1. Ir para cima↑Conforme anotado na “Quarta Memória da Irmã Lúcia” (pág. 173), esta sétima vez aconteceu em 16 de Junho de 1921, nas vésperas da partida de Lúcia para o Colégio de Vilar no Porto. Foi uma aparição com uma mensagem pessoal para a vidente que, por isso, não a revelou.
  2. Ir para cima↑Lúcia sempre confirmou ser o Papa Pio XI (pontificado de 1922 a 1939), considerando que a anexação da Áustria em 1938 teria sido o verdadeiro início da guerra (carta de 8 de Novembro de 1989 para o Santo Padre).
  3. Ir para cima↑Os astrónomos registaram uma aurora boreal que iluminou os céus da Europa na noite de 25 para 26 de Janeiro de 1938. Lúcia sempre insistiu que este seria o sinal de Deus para o começo da guerra.
  4. Ir para cima↑Estes pedidos cumpriram-se a 10 de Dezembro de 1925 e 13 de Junho de 1929, com as aparições em Pontevedra e na capela da casa de Tuy respetivamente.
  5. Ir para cima↑As crianças tinham passado a usar como cilício uma corda grossa que não tiravam sequer para dormir; isso impedia-lhes muitas vezes o sono e passavam noites inteiras em branco, daí o elogio e a recomendação de Nossa Senhora.
  6. Ir para cima↑Em 1689, um ano antes de morrer, Santa Margarida Maria tentou por vários meios fazer chegar ao Rei-Sol Luis XIV da França uma mensagem do Sagrado Coração de Jesus com quatro pedidos: gravar o Sagrado Coração de Jesus nas bandeiras reais; construir um templo em Sua honra, onde devia receber as homenagens da Corte; o Rei deveria fazer a sua consagração ao Sagrado Coração; e deveria empenhar a sua autoridade perante a Santa Sé para obter uma missa em honra do Sagrado Coração de Jesus. No entanto nada se conseguiu, parecendo mesmo que esta mensagem nunca terá chegado ao conhecimento do Rei. Só um século mais tarde, a família real responderia, na medida do possível, a esta mensagem. Em 1792, Luis XVI concebe a ideia do seu voto ao Coração de Jesus, mas já só o realiza na prisão do templo, prometendo cumprir, após a sua libertação, todos os pedidos comunicados por Santa Margarida Maria. Esta promessa já foi tarde, pois foi guilhotinado a 21 de Janeiro de 1793.

Referências

  1. Ir para cima↑António Augusto Borelli Machado, As aparições e a mensagem de Fátima nos manuscritos da Irmã Lúcia, 23ª edição, Maio de 1998, Depósito Legal nº123 914, ISBN 972-95919-0-3 (página 35)
  2. Ir para cima↑Idem (página 25)
  3. Ir para cima↑Idem (páginas 29 e 33)
  4. Ir para cima↑Idem (páginas 29 a 30)
  5. Ir para cima↑Idem (página 31 a 33)
  6. Ir para cima↑Idem (páginas 35 a 38)
  7. Ir para cima↑Idem (páginas 38 a 40)
  8. Ir para cima↑Idem (páginas 42 a 46)
  9. Ir para cima↑O Terceiro Segredo e sua interpretação firmada pelo Vaticano com.
  10. Ir para cima↑A REVELAÇÃO DO SEGREDO DE FÁTIMA PENITÊNCIA E ORAÇÃO: UM CONVITE À RENOVAÇÃO, Centro dos Voluntários do Sofrimento, separata de “L’Ancora”, n.º 5 – Maio de 2001, tradução: Armando Marques da Silva
  11. Ir para cima↑Rapto dos Videntes (13-15 de Agosto de 1917), A Associação de Fátima
  12. Ir para cima↑Rapto dos Videntes (13-15 de Agosto de 1917)A Associação de Fátima. Visitado em 13 de Maio de 2012. “Frère Michel de la Sainte Trinité, The Whole Truth About Fatima, Volume I: Science and the Facts, (Immaculate Heart Publications, Buffalo, New York, 1989) p. 218.
  13. Ir para cima↑História – As apariçõesPágina oficial do Santuário de Fátima. Visitado em 13/05/2012.
  14. Ir para cima↑António Augusto Borelli Machado,As aparições e a mensagem de Fátima nos manuscritos da Irmã Lúcia, 23ª edição, Maio de 1998, Depósito Legal nº123 914, ISBN 972-95919-0-3 (páginas 49-50)
  15. Ir para cima↑Idem(páginas 52 a 53)
  16. Ir para cima↑Idem(páginas 53 a 55)
  17. Ir para cima↑Idem(páginas 59 a 66)
  18. Ir para:ab c d e f Capelinha das Aparições, Muro de Berlim, Presépio e Capela do Lausperene Site oficial do Santuário de Fátima. Visitado em 9 de Setembro de 2011.
  19. Ir para:ab c d e Imagem da Capelinha das Aparições Site oficial do Santuário de Fátima. Visitado em 20 de outubro de 2011.
  20. Ir para:ab c d Fernando Guedes. Fátima – mundo de esperança. GRIS Impressores: VERBO, março de 1967.
  21. Ir para cima↑Renacimiento de Portugal después de Fátima (I)(em espanhol) Panorama Católico Internacional (20 de abril de 2006). Visitado em 22 de outubro de 2011.
  22. Ir para:ab  António Maria Martins, S. J.. Novos Documentos de Fátima. Oficinas gráficas da Editorial Franciscana: Livraria A. I. – Porto, novembro de 1984. ISBN 9780000008091
  23. Ir para cima↑Lúcia considerou que aaurora boreal vista na Europa na noite de 25 para 26 de janeiro de 1938 era o sinal de Deus para o começo da guerraMemórias da Irmã Lúcia, p. 122, nota 1.
  24. Ir para:ab c d e f g h A Mensagem de Fátima Vaticano Congregação para a Doutrina da Fé.
  25. Ir para:ab c The Third Secret (em inglês) World Apostolate of Fatima Rhode Island Division (2009). Visitado em 22 de outubro de 2011.
  26. Ir para cima↑Basílica de Nossa Senhora do Rosário de FátimaSite oficial do Santuário de Fátima. Visitado em 9 de Setembro de 2011.
  27. Ir para cima↑Custodia Carl Malburg.Russian Archbishop Tadeusz Kondruchewicz crowns the IPVS in Fatima, PORTUGAL (pdf) (em inglês) International Pilgrim Virgin Statue Foundation Inc.. Visitado em 22 de outubro de 2011.
  28. Ir para cima↑BENTO XVI E FÁTIMA – VÁRIOS MOMENTOSSite oficial do Santuário de Fátima.
  29. Ir para cima↑Bento XVI pede para Patriarca de Lisboa colocar o seu pontificado aos pés de Nossa Senhora de FátimaSite oficial do Santuário de Fátima.
  30. Ir para cima↑Inauguração de nova Igreja marca comemorações das apariçõespt (12 de Outubro de 2007 – TSF Rádio Notícias). Visitado em 23 de Abril de 2011.
  31. Ir para cima↑Viagem Apostólica a Portugal no 10º aniversário da beatificação de Jacinta e Francisco, pastorinhos de Fátima (11Site oficial do Vaticano. (14 de Maio de 2010).
  32. Ir para cima↑Papa lembrou João Paulo II na Capelinha das Apariçõespt (12 de Maio de 2010).
  33. Ir para cima↑João Paulo II é beatificado diante de milhares de fiéis em cerimónia no VaticanoO Globo (1 de Maio de 2011). Visitado em 1 de Maio de 2011.
  34. Ir para cima↑Peregrinos assistem a ‘milagre do Sol’ em FátimaCorreio da Manhã (13 de Maio de 2011). Visitado em 14 de Maio de 2011.
  35. Ir para cima↑Consagração a Nossa Senhora de Fátima do ministério do Papa FranciscoAgência Ecclesia (13 de maio 2013). Visitado em 13 de maio 2013.
  36. Ir para cima↑Leopoldina Simões (20 de agosto de 2013).Imagem de Nossa Senhora de Fátima será levada à Jornada Mariana a pedido do Papa Site oficial do Santuário de Fátima. Visitado em 3 de outubro de 2013.
  37. Ir para cima↑Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização anuncia programa da Jornada MarianaSite oficial do Santuário de Fátima (20 de agosto de 2013). Visitado em 3 de outubro de 2013.
  38. Ir para cima↑Pope Francis: Say Yes to God like Mary(em inglês) Rádio oficial do Vaticano (13 de outubro de 2013). Visitado em 13 de outubro de 2013.

 

Bibliografia

 

  • Memórias e cartas da Irmã Lúcia– Introdução e notas pelo Padre Dr. António Maria Martins, S.J. Composição e impressão de Simão Guimarães, Filhos, Lda. Depositários L. E.- Porto, Portugal, 1973.
  • Era uma Senhora mais brilhante que o Sol– Padre João M. de Marchi, I.M.C.. Seminário das missões de Nª Srª de Fátima, Cova da Iria, Portugal, 3ª edição, 1948.
  • Nossa Senhora de Fátima– William Thomas Walsh. Edições Melhoramentos, São Paulo, 2ª edição, 1949.
  • Nossa Senhora de Fátima– Padre Luis Gonzaga Ayres da Fonseca, S.J.. Editora Vozes, Petrópolis, Brasil, 5ª edição, 1954.
  • História das Aparições– Cónego José Galamba de Oliveira. Ocidental Editora, Porto, Portugal, 1954, in Fátima, altar do mundo  II, pp. 21–160
  • A consagração pela Igreja do culto de Nossa Senhora de Fátima– D. Frei Francisco Rendeiro, O. P.. Ocidental Editora, Porto, Portugal, 1954, in Fátima, altar do mundo  II, pp. 163–198.
  • As grandes jornadas de Fátima– Padre Moreira das Neves. Ocidental Editora, Porto, Portugal, 1954, in Fátima, altar do mundo  II, pp. 205–303.
  • Meditações dos primeiros Sábados– Padre António de Almeida Fazenda, S.J.. Mensageiro do Coração de Jesus, Braga, Portugal, 2ª edição, 1953.
  • Fátima, onde o céu tocou a terra– Padre Luiz Gonzaga Mariz, S.J.. Editora Mensageiro da Fé, Lda., Salvador, Brasil, 2ª edição, 1954.
  • Síntese crítica de Fátima-Incidências e repercussões– Cónego Sebastião Martins dos Reis. Edição do Autor, Évora, Portugal, 1967.
  • A vidente de Fátima dialoga e responde pelas Aparições– Cónego Sebastião Martins dos Reis. Tipografia Editorial Franciscana, Braga, Portugal, 1970.
  • Memórias– Irmã Maria Lúcia de Jesus e do Coração Imaculado, 13ª edição, Secretariado dos Pastorinhos, Outubro de 2007 – ISBN 978 972 8524 18 0.

 

 

Aparições marianas

 

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

 

Aparições marianas são fenómenos nos quais se acredita que a Virgem Maria aparece a uma ou várias pessoas (chamadas popularmente de videntes), na sua maioria católicos. No passado, a Igreja Católica reconheceu um conjunto de aparições de Nossa Senhora como sendo dignas de  e encontra-se actualmente a analisar inúmeros novos relatos de aparições que estão a decorrer pelo Mundo.

Lista de aparições marianas

 

Esta é uma lista das mais conhecidas aparições marianas no Mundo. Apenas as aparições que apresentam um * correspondem àquelas que foram reconhecidas e aprovadas pela Igreja Católica.

Data / Ano Localidade / País Os videntes Invocações / Ligações
39 (depois da SuaAssunção) Saragoça, Espanha Tarraconense Santiago Apóstolo Nossa Senhora do Pilar
352 Roma Papa Libério e um romano chamado João Nossa Senhora das NevesBasílica de Santa Maria Maior
1061 Walsingham, Inglaterra Richeldis de Faverche Nossa Senhora de Walsingham
1208 * Prouille, França São Domingos de Gusmão (instituição do Santo Rosário) Nossa Senhora do Rosário
1251 Inglaterra São Simão Stock (recebe o Escapulário de Nossa Senhora do Carmo) Nossa Senhora do Carmo
1432 Caravaggio, Itália Joaneta Varoli, uma camponesa Nossa Senhora de Caravaggio
1480 Vale do Paraíso, Portugal 1 pastor Nossa Senhora do Paraíso
1531 Cidade do México, México São Juan Diego, um indígena Nossa Senhora de Guadalupe
1579 Kazan, Rússia Uma menina de 10 anos Nossa Senhora de Kazan
1594 Quito, Equador Mariana de Jesus Torres Nossa Senhora do Bom Sucesso
1600 Vailankanni, Índia Milkman e alguns marinheiros Nossa Senhora da Boa Saúde
1608 – 1612 * Siluva, Lituânia Quatro crianças Nossa Senhora de Siluva
1655 – 1660 Ágreda, Espanha A uma religiosa: a Venerável Maria de Jesus de Ágreda Virgem Maria (Imaculada Conceição)
1664 – 1718 Saint-Étienne-le-Laus, França A pastora Benoîte Rencurel Nossa Senhora de Laus
1717 Aparecida, Brasil Um grupo de pescadores Nossa Senhora da Conceição Aparecida
1753 Natal, Brasil Um grupo de pescadores Nossa Senhora da Apresentação
1798 La Vang, Vietname Um grupo de católicos (que eram perseguidos) Nossa Senhora de La Vang
1830 Paris, França Santa Catarina Labouré, uma freira do Convento das Irmãs da Caridade Nossa Senhora das Graças
1846 La Salette, França Dois pastores: Melanie Calvat e Maximin Giraud Nossa Senhora de La Salette
1850 Licheń Stary, Polónia Mikołaj Sikatka Nossa Senhora de Licheń
1858 Lourdes, França Santa Bernadette Soubirous Nossa Senhora de Lourdes
1859 Champion, Wisconsin, E.U.A. Irmã Adele Brise, uma freira Nossa Senhora do Bom Socorro
1871 Pontmain, França Eugéne e Joseph Barbedette, Jeanne-Marie Lebosse, Francoise Richer e uma criança de dois anos: Augustine Nossa Senhora da Esperança
1876 Pellevoisin, França Estelle Faguette Nossa Senhora de Pellevoisin
1876 Marpingen, Alemanha Três crianças de oito anos Nossa Senhora de Marpingen
1879 * Knock, Irlanda Numerosas testemunhas viram Nossa SenhoraSão José e São João Evangelista Nossa Senhora de Knock
1900 Donglu (Hebei), China Nossa Senhora da China
1900 Sheshan, Xangai, China Our Lady of Sheshan
1917 Fátima, Portugal Os três pastorinhos: Lúcia Santos e os Santos Jacinta eFrancisco Marto Nossa Senhora de Fátima
1918 Água de Pauilha de São Miguel, Portugal Maria Joana Tavares do Canto Nossa Senhora do Monte Santo
1930 CampinasSão Paulo, Brasil Irmã Amália Aguirre Nossa Senhora das Lágrimas
1931 – 1955 Balazar, Portugal Beata Alexandrina Maria da Costa Aparições de Nossa Senhora e Jesus
1932 Beauraing, Bélgica Cinco estudantes Virgem do Coração de Ouro
1933 BanneuxBélgica Mariette Beco, uma pequena estudante Virgem dos Pobres
1940 – 1996 Girgenti, Malta Guza Mifsud Nossa Senhora da Consagração
1941 – 1988 Alto de Umbe, BilbaoEspanha Felisa Sistiaga Virgem Pura Dolorosa de Umbe
1944 Bérgamo, Itália Adelaide Roncalli Nossa Senhora de Bonate
1945 La Codosera, Espanha Marcelina Barroso Expósito (actualmente freira de clausura) e a Afra Brígido Blanco Virgem Dolorosa de Chandavila (La Codosera)
1945 – 1959 Amesterdão, Países Baixos Ida Peerdeman A Senhora de Todas as Nações
1946 Marienfried, Alemanha Barbara Reuss Medianeira de Todas as Graças
1947 Tre Fontane, Roma Bruno Cornacchiola e os seus três filhos A Virgem da Revelação
1947 L’Île-Bouchard, França Jacqueline Aubry, Jeanette Aubry, Nicole Robin e Laura Croizon Nossa Senhora da Oração
1948 Lipa City, Filipinas A postulante carmelita Teresita Castillo Medianeira de Todas as Graças
1947 – 1976 Montichiari-Fontanelle, Itália Pierina Gilli Nossa Senhora Rosa Mística
1949 – 1950 Necedah, E.U.A. Mary Ann Van Hoof Hirt Rainha do Santo Rosário e Medianeira da Paz
1954 Asseiceira (Rio Maior), Portugal A um menino chamado Carlos Alberto Nossa Senhora do Rosário de Asseiceira
1955 Sabana Grande, Porto Rico Três crianças Virgem do Rosário del Pozo
1956 Rome City, Indiana, E.U.A. Sr. M. Neuzil Nossa Senhora da América
1958 Turzovka, Eslováquia A três homens, todos em idade adulta Nossa Senhora Rainha de Turzovka
1961 – 1965 Garabandal, Espanha Quatro jovens raparigas Nossa Senhora do Carmo
1961 – 1981 Budapeste, Hungria Elizabeth Kindelmann, mãe de seis filhos A Chama de Amor do Imaculado Coração de Maria
1968 – presente Palmar de Troya-Espanha Rosário Arenillas Cruz Branca
1968 – 1976 Onuva, La Puebla del Río, Sevilha,Espanha Ao jovem adolescente Jesús José Nossa Senhora das Graças de Onuva
1968 – 1971 * Zeitoun, Egipto Centenas de pessoas (observam a Virgem sobre a cúpula de uma Igreja) Nossa Senhora de Zeitoun
1971 – presente Roma Marisa Rossi A Mãe da Eucaristia
1973 Akita, Japão Irmã Sasagawa Nossa Senhora de Akita
1980 Wu Fung Chi,Taiwan A nove budistas Nossa Senhora da China
1980 São Francisco de Cuapa, Nicarágua Bernado Martinez Virgem de Cuapa
1981 – presente Međugorje, Bósnia e Herzegovina A cinco adolescentes e uma criança: Ivanka Ivanković, Mirjana Dragićević, Vicka Ivanković, Marija Pavlović, Ivan Dragićević e o pequeno Jakov Čolo Nossa Senhora de Medjugorje (Rainha da Paz)
1981 – 2002 El Escorial, Espanha Amparo Cuevas, mãe de família Nossa Senhora das Dores de Prado Nuevo
1982 – 1988 * Kibeho, Ruanda A sete adolescentes Nossa Senhora das Dores Santuário das aparições
1983 – 1990 San Nicolás, Argentina Gladys Quiroga da Motta Virgem Maria do Rosário de San Nicolás
1985 – 2004 San Martino di Schio,Itália Renato Baron Rainha do Amor
1986 – 1988 Belpasso, Itália Rosário Toscano, uma rapariga de quinze anos Nossa Senhora de Belpasso
1988 – presente São José dos PinhaisParaná, Brasil Aparições de Nossa Senhora, Nosso Senhor Jesus Cristo, São José, Anjos, Arcanjos e querubins a Eduardo e Júnior. Nossa Senhora Rosa Mística (do Brasil)
1989 – 1999 Kurescek, Eslovénia Father Smaverski Rainha da Paz
1990 – 1995 * Litmanová, Eslováquia Katka Ceselkova e Ivetka Korcakova Nossa Senhora da Imaculada Pureza
1992 – presente Manduria, Itália Débora Marasco A Virgem da Eucaristia
1994 – presente Itapiranga e Manaus,Amazonas, Brasil Aparições de Nossa Senhora, de Nosso Senhor Jesus Cristo, São Miguel Arcanjo, São José a Edson Glauber e Maria do Carmo Aparições da Rainha do Rosário e da Paz
1999 – presente Sobreiro, São Marcos da Serra,AlgarvePortugal Fernando Pires Nossa Senhora do Sobreiro, Mãe da Bondade
2000 – 2001 Assiut, Egipto A milhares de pessoas (aprovadas pela Igreja Ortodoxa Copta) Nossa Senhora de Assiut

 

Referências

  • Ruggles, Robin.Os Santuários das Aparições. Prior Velho: Paulinas Editora. ISBN 978-972-751-542-4
  • Connell, Janice T.Encontros com Maria: As Aparições de Nossa Senhora. Portugal: Planeta Editora, 2000. ISBN 978-972-731-094-4
  • Laurentin, René.Apparitions of the Blessed Virgin Mary Today. Dublin: Vertitas Publications, 1990. ISBN 1-853-90054-9
  • Odell, Catherine M..Those Who Saw Her: Apparitions of Mary. Huntington: Our Sunday Visitor, 1995. ISBN 0-87973-664-4
  • Sparrow, G. Scott.Sacred Encounters with Mary. Chicago: Thomas More Association/Ave-Maria Press, 2004. ISBN 1-59471-047-3

 

Escola de Espiritualidade

Escola de Espiritualidade

 

Tags:

Curso Cura de Fátima todos temos o Dom, curso cura de Fátima, cura de Fátima, Fátima, Papa, Papa João Paulo Segundo, João Paulo II, Papa João Paulo II, Papa João Paulo 2, curso de energia de Fátima, curso de cura divina de Fátima, cura divina de Fátima, Deus, cura divina, cura, curas, curas de Fátima, milagres, milagres de Fátima, milagres Fátima. Energias de Cura, mediunidade, mediunidade de cura. Segredos de Fátima, segredo, segredos, terceiro segredo de Fátima, segredo de Fátima, 3 segredos de fatima, 3 segredo de Fátima, os segredos de Fátima, os tres segredos de fatima, 3º segredo de Fátima, os 3 segredos de fatima, terceiro segredo de fátima revelado, tres segredos de fatima, o segredo de Fátima, terceiro segredo de fatima fim do mundo, o terceiro segredo de Fátima, o 3 segredo de fatima, segredo de fatima revelado, o terceiro segredo de fatima revelado, segredo fatima, segredo de fatima fim do mundo, terceiro segredo de nossa senhora de Fátima, terceiro segredo de fatima 2012, 3o segredo de Fátima, os segredos de nossa senhora de fatima, revelação do terceiro segredo de Fátima, qual o terceiro segredo de fatima, o terceiro segredo de nossa senhora de fatima, segredos de nossa senhora de fatima, segredo nossa senhora de fatima, 3 segredo de nossa senhora de fatima. santuario de fatima em directo, fatima em directo, santuario de fatima directo, tv fatima directo, directo de fatima, santuario fatima directo. Lisboa Fátima, igreja nossa senhora de fatima Lisboa, como ir de lisboa a fatima, autocarro lisboa fatima, fatima Lisboa, lisboa a fatima, lisboa fatima autocarro, autocarros lisboa fatima, igreja de fatima Lisboa, como ir de lisboa para fatima, caminho de fatima, caminhos de Fátima, caminho para fatima, caminho fatima, caminhos para fatima, caminhos fatima. Santuario de fatima capelinha das aparições, capelinha de fatima, capelinha das aparições fatima, fatima capelinha, capelinha de fatima ao vivo, capelinha das aparicoes de fatima, capelinha das aparições em directo, capelinha das aparições directo, capelinha das aparições Fátima, capelinha das aparições Fátima, santuario de fatima capelinha das aparições, capelinha das aparições em Fátima, capelinha das aparições terço, capelinha aparições, capelinha das aparições tv, fatima capelinha das aparições, capelinha das aparicoes de fatima. Santuario de fatima. Fatima Bernardes, fatima Lopes. Revista maria, revista maria online, maria revista online, revistas maria online, ver revista maria online. Maria, maria mãe, mãe maria, maria jeus, maria mãa jesus, maria mão de jesus. Marianos, cultos marianos. Imagens de Fátima, imagens de nossa senhora de Fátima, imagens da nossa senhora de fatima, imagens nossa senhora fatima, imagens nossa senhora de Fátima, nossa senhora de fatima imagens, imagens de ns de fatima. Fátima Portugal, tempo em fatima Portugal, restaurantes em fatima Portugal, portugal Fátima, mapa de fatima em Portugal, restaurantes fatima Portugal, meteorologia fatima Portugal, cidade de fátima em Portugal, fátima em Portugal, nossa senhora de fátima Portugal, mapa de fátima Portugal, nossa senhora fatima Portugal, fatima portugal pontos turísticos, igreja de fátima Portugal, viagem para fatima Portugal, nossa senhora de fatima em Portugal, fátima portugal turismo, como ir a fatima Portugal, turismo em fatima Portugal, cidade de fátima Portugal, cidade fatima Portugal, nossa senhora de fatima de Portugal, igreja de fátima em Portugal. Milagre de Fátima, milagres de fatima, o milagre de Fátima, milagres de nossa senhora de fatima, milagre de nossa senhora de fatima. Pastorinhos de fatima, pastorinhos fatima, os pastorinhos de Fátima, hotel 3 pastorinhos Fátima, os tres pastorinhos de fatima, os 3 pastorinhos de fatima, tres pastorinhos de fatima. Vidente, videntes, videntes de fátima. Musicas de fatima, musicas de nossa senhora de fatima, nossa senhora de fatima música, musica de nossa senhora de fatima, musica nossa senhora de fatima, fatima leao músicas. Oração, orações, oração nossa senhora fatima, nossa senhora de fatima oração, nossa senhora de fatima oração, oração da nossa senhora de fatima, pedido de oração nossa senhora de fatima, pedido de oração a nossa senhora de fatima. Nossa senhora de fatima história, historia nossa senhora de fatima, historia de fatima Portugal, historia da nossa senhora de fatima, a historia de nossa senhora de fatima. Santuário nossa senhora de Fátima, santuário de nossa senhora de Fátima, santuario de nossa senhora de fatima em Portugal, santuario de nossa senhora de fatima Portugal, santuario nossa senhora de fatima Portugal, santuario nossa senhora de fatima em Portugal. Profecia, profecias, 3 profecia de fatima, terceira profecia de Fátima, profecias de nossa senhora de fatima, profecia de Fátima, profecias de Fátima, as profecias de Fátima, a profecia de fatima, Lúcia, irmã lúcia, pastorinhos. Transportes para fatima, transporte lisboa fatima, transportes fatima, fatima transportes, transporte fatima. Fotos da nossa senhora de fatima, fatima fotos, fotos nossa senhora de Fátima, fotos de nossa senhora de Fátima, foto nossa senhora de fatima, wallpaper fatima, fotos de nossa senhora de fatima para papel de parede, vela fatima, velão Fátima, foto de nossa senhora de Fátima. Lojas de artigos religiosos em fatima, lojas em fatima, loja fatima, loja nossa senhora de fatima. Radio, radio fatima, transmissãoo fatima, tv fatima. Santuário de Fátima, santuário Fátima, santuario de fatima online, santuário de fátima missas, santuário de fátima Portugal, fátima santuário, www santuario de fatima, santuario de fatima ao vivo, santuario fatima Portugal, santuário de fátima página oficial, www.santuario de fatima.pt, santuario de fatima cânticos, cânticos, gregorianos, santuário de fátima em Portugal, www.santuario-fatima, santuario de fatima da serra grande, santuario de fatima portugal ao vivo. Hotéis em Fátima, hotéis Fátima, fatima hotéis, hoteis fatima Portugal, hoteis em fatima perto do santuário, hoteis em fatima baratos, hoteis baratos em fatima, hoteis de fatima, hoteis em fátima Portugal, hoteis baratos fatima, hoteis em fatima com piscina.

Leave a comment

Deixar uma resposta