Star Wars

Star Wars – A Espiritualidade na Série Star Wars

 3 Grandes Razões para explicar porque tantos milhões de pessoas adoram a saga Star Wars – Guerra das Estrelas

Star Wars

Star Wars

Existe um princípio espiritual que nos diz que se somos atraídos por alguma coisa é porque esse “alguma coisa” tem algo para nós ou tem alguma coisa a haver connosco.

E a série conhecida como Star Wars – Guerra das Estrelas não é excepção. Por detrás de um fenómeno de sucesso mundial como Star Wars – Guerra das Estrelas, que apaixona multidões, essa atração não é por acaso.

Com a estreia em Dezembro de 2015 do sétimo episódio – O Despertar da Força – optamos por escrever este

Star Wars Force Awakens

Star Wars Force Awakens

artigo que há muitos anos estava esboçado. Quanto às causas dessa atracção, existem explicações muito plausíveis, outras mais polémicas.

Quanto às mais polémicas, menos aceites, apontamos por exemplo aquela que afirma que algumas passagens da Guerra das Estrelas relatam acontecimentos que esta Humanidade ou a Humanidade de um outro planeta já passou em eras passadas (muito antes desta geração civilizacional). Esta última é de facto a introdução dos filmes: “Há muito tempo, numa galáxia muito, muito distante…”

A explicação oposta diz que a série Star Wars ou Guerra das Estrelas relata acontecimentos futuros da Humanidade, razão pela qual tantas pessoas a adoram. Muitos “corações” vibram com a Guerra das Estrelas porque “sabem” que vão um dia vão passar por algo semelhante, como por exemplo, pilotar uma nave espacial, explorar outros mundos, outros sistemas solares, outras galáxias…

Polémicas à parte, vamos abordar as explicações mais fáceis de reflectir e aceitar, seja por estudiosos ou não da espiritualidade. Vamos resumir essas explicações em três grandes causas que explicam porque tantas pessoas gostam da série Star Wars Guerra das Estrelas, apesar de não fazerem ideia conscientemente acerca do porquê de tal simpatia ou mesmo paixão.

 

Razão 1: O TEMA CENTRAL DO STAR WARS OU GUERRA DAS ESTRELAS É A ESPIRITUALIDADE E A “ETERNA LUTA” ENTRE O BEM E O MAL.

Pois é. Essa é a verdade verdadinha. As pessoas ao verem um filme de ficção ou fantasia baixam a guarda e os seus mecanismos de defesa psicológicos e abrem a sua mente a um livro ou filme sobre temas de espiritualidade e religião de uma forma que em circunstâncias normais não o admitiriam.

 

Razão 2 – UM DOS TEMAS PRINCIPAIS DA SÉRIE STAR WARS – GUERRA DAS ESTRELAS É A MEDIUNIDADE (A ESPIRITUALIDADE PURA) E OS DONS ESPIRITUAIS, ASSUNTOS CAMUFLADOS NOS TEMAS DA “FORÇA” E DOS “JEDIS”.

Os dons dos Jedis são dons espirituais e quase todos os dons dos Jedis e dos militantes do “lado negro da força” são dons espirituais que qualquer médium desenvolvido tem à sua disposição.

Para dar alguns exemplos:

– A “Força” de A Guerra das Estrelas é a energia Universal chamada “Prana” na Índia e “Chi” ou “Qi” na china. Trabalham com “a Força” os terapeutas Reiki, os praticantes de Yoga, os praticantes de artes marciais…

– Entrar na mente de alguém ou perceber o que alguém está a pensar como se vê neste último filme (Episódio 7 estreado em 2015) é algo que uma grande parte das pessoas já fez nesta vida pelo menos uma vez e alguns espiritualistas têm esse dom mais desenvolvido.

– Ver imagens espirituais de antepassados, ou Jedis que já desencarnaram a dar conselhos e instruções é aquilo que qualquer médium desenvolvido tem no seu dia-a-dia. Chama-se “Comunicações de Guias Espirituais.” Outros fenómenos de vidência dizem respeito a ver acontecimentos passados, acontecimentos futuros (premonição), etc.

– Pessoas que aderiram ao “lado negro da força” representam os espiritualistas que quebram os seus compromissos com Deus e a lealdade para com os seus Mestres e Guias espirituais da Luz e começam a fazer o Mal, a praticar a Magia Negra, a procurar manipular pessoas e instituições à revelia das leis de Deus. Vemos em Hitler um exemplo praticamente perfeito de alguém ao serviço do lado negro da força relatado nos filmes Star Wars – Guerra das Estrelas. Hitler foi um espiritualista muito evoluído que conseguiu muito poder neste mundo.

– A telecinesia que consiste em mover objectos pela acção da mente é também um dom do seu humano. É um dom hoje muito raro de assistir ou talvez até desaparecido. A maioria dos vídeos que vemos na internet não são credíveis e não passam de truques de ilusionismo ou aproveitamento de algumas leis da física. Pensa-se que a Humanidade já teve esse dom muito desenvolvido no passado mas devido a abusos foi retirado.

– Sentir a proximidade física de alguém. Esse é o menos espectacular de todos. Quem é que já pensou em alguém que depois lhe telefonou ou encontrou? Quem é que já sonhou com uma pessoa que já não via há algum tempo e depois encontra essa pessoa nesse dia ou a pessoa lhe telefona? Certamente muitas pessoas.

 

Razão 3: A GUERRA INTERMINÁVEL ENTRE O BEM E O MAL RETRATADA NO STAR WARS

Já repararam que um dos personagens mais adorados e dos que mais vende é justamente a personagem do mal “Darth Vader”?

Isso provavelmente significa uma ou mais das seguintes opções (não esgotamos aqui todas as possibilidades):

– A pessoa no seu passado já esteve ao serviço das trevas mais profundas ou se juntou a almas que se rebelaram contra Deus.

– A pessoa nesta vida actual ainda não se libertou das amarras e ligações ao Mal (mesmo aquelas que nesta vida se preocupam em fazer apenas o Bem)

– A pessoa definitivamente (entre aspas ou sem aspas) escolheu o Mal e ponto final

– A pessoa tem um conflito espiritual grave, tendo mágoas ou coisas para resolver com Deus (que se reflete por exemplo em negar-se a estudar a verdadeira espiritualidade, a dizer que é ateu ou agnóstico, etc.)

– A pessoa é vítima de influências espirituais (encostos espirituais, obsessão espiritual) e esse gosto é uma chamada de atenção do seu inconsciente (do Eu Superior) ou dos seus Guias

 

Continuando com as razões ocultas da paixão ou simples simpatia pelos filmes da saga Guerra das Estrelas, sob determinado ponto de vista a série Star Wars pode ser encarada como altamente deprimente (nós dissemos “sobre determinado ponto de vista”). Retrata o lado mais sombrio da natureza humana.

Vejamos alguns exemplos:

– Aborda a escravatura (em alguns episódios esse tema é mais abordado) ou condições de vida degradantes. No episódio 7 que estreou em 2015 a protagonista tem uma condição de vida deplorável, precisando de arriscar a vida em busca de objectos de sucata para trocar por um pouco de comida. Será que essa condição é assim tão diferente dos ordenados miseráveis da maior parte da população mundial cujo suor no trabalho dá apenas para pagar as contas essenciais e pouco mais?

– A maioria da população está subjugada pelo poder político e económico. Veja o caso do soldado que foi retirado à família ainda criança para ser treinado e moldado para obedecer e matar. A maioria da população mundial vive para o trabalho e para obedecer a uma ordem estabelecida muito distante da ideal. O ser humano veio originalmente à Terra para ser, dentro do possível e das limitações naturais da natureza material, feliz, dedicar-se à espiritualidade, estudar, evoluir em sabedoria e amor, dedicar-se aos bons relacionamentos e aproximar-se espiritualmente de Deus. Quantas pessoas conseguem esse ideal? Antes disso, quantas já perceberam isso?

– Aborda o facto de haver sempre alguém disposto a entregar-se ao Mal. As personagens Darth Vader e Lord Sith do Star Wars tinham morrido mas neste episódio aparecem outros a tomarem o seu lugar: o Supremo Líder Snoke substitui Lord Sith e Kylo Ren é o seu actual aprendiz. Muitos “meninos de coro” e “pessoas de bem” se juntariam ao Mal caso essa entrega fosse francamente compensadora em termos de poder e claro, caso a oportunidade surgisse nas suas vidas

Neste momento não estamos interessados em saber se estão certos os que dizem que a luta entre o Bem e o Mal nunca terminará. Mas o filme parece retratar que… talvez não!

 

CONCLUSÃO

Para um psicólogo que é ao mesmo tempo mestre espiritual não é difícil encontrar na saga Star Wars um manancial de temas interessantes para reflexão. Alguns deles abordamos de vez em quando nas nossas aulas de espiritualidade e também nas aulas de desenvolvimento da mediunidade. Provavelmente o mais significativo consiste na espiritualidade e na mediunidade camuflada que o filme retrata. Como é óbvio não está em causa se George Lucas tinha essa intenção até porque sabemos que muitos autores de livros e filmes não sabem eles próprios porque certas obras suas alcançam um sucesso tão avassalador (George Lucas vendeu os direitos à Disney por uns quase inacreditáveis quatro mil milhões de dólares!). E também é provável que nunca tínhamos vista tantas grandes marcas a fazerem publicidade inspirados pela Star Wars assim como tantos cronistas e jornalistas a escreverem tantos artigos sobre a estreia de um filme! Mas o que está em causa é a simpatia e mesmo paixão de milhões e milhões de pessoas pela Star Wars.

Não é difícil aceitar que se o roteiro do filme abordasse essas temáticas de forma mais directa ou não existiria filme ou seria um fracasso de bilheteira. Não sabemos.

Mas sabemos sim que milhões de pessoas deixam entrar pelas suas mentes temas que de outra forma não admitiam abordar.

Faz lembrar certo fenómeno ainda sem explicação que os psicólogos conhecem para lidar com as crianças. Existem testes psicológicos e jogos que utilizam animais como protagonistas para ajudar a criança a projectar as suas vivências internas. Se as imagens fossem de seres humanos essa avaliação psicológica seria mais difícil ou até impossível pois a criança utilizaria mecanismos que bloqueariam a exteriorização de material interno. Mas quando as personagens são animais as crianças baixam as suas defesas psicológicas e escancaram muitas vezes o seu interior, sem freios ou limites. Não se sabe explicar muito bem o porquê deste fenómeno mas que funciona funciona. É também por isso que as crianças tanto gostam de desenhos animados com animais, algo que Walt Disney tão bem percebeu.

O mesmo se passa com os adultos. Certas estratégias ajudam a que as pessoas sejam abordadas por determinados temas que de outra forma não o admitiriam. Como diz o ditado, “não há fumo sem fogo”. E como diz certo principio espiritual: “Há sempre um fundo de verdade ou uma lição a retirar nas histórias que nos prendem a atenção.”

Fenómenos como Harry Potter e O Senhor dos Anéis abordam a espiritualidade e a luta entre o Bem o Mal cujos resultados são os problemas ainda por resolver na população mundial. Só os que querem continuar cegos às evidências não o admitem.

Mas essa é outra das facetas misericordiosas de Deus. Sendo Deus um Pai Amoroso e Bondoso, continua a enviar à Terra os bons ensinamentos, quer queiramos ou não. É sinal que ainda não desistiu daquela parte das Almas humanas que ainda não decidiu regressar definitivamente a Casa. Os que ainda não suportam encarar certos temas de frente têm nas artes, na literatura e no cinema por exemplo, a possibilidade de encarar de forma mais “suave” e “suportável” os ensinamentos e as chamadas de atenção sobre as grandes questões da existência humana ensinados de forma directa e simples pela espiritualidade pura e bela de Deus transmitida pelos grandes mestres.

José Matos
Mestre Espiritual
Consultas, Tratamentos e Cursos de Espiritualidade
Trabalhos espirituais presenciais e à distância
Tlm: 965 830 827

Tags:
– Star Wars
– Star Wars episódio VII O Despertar da Força
– A Espiritualidade em Star Wars